Biólogo Atila Iamarino sofre ataque e público responde no Twitter

Divulgador científico é acusado de ter errado previsão sobre um milhão de mortes no Brasil, mas estudo britânico falava de cenário com zero medidas

Biólogo, pesquisador e divulgador científico, Atila Iamarino é doutor em microbiologia pela Universidade de São Paulo e ganhou um novo grau de notoriedade em seu canal no YouTube durante a quarentena para combater a disseminação do novo coronavírus. Com conteúdos ao vivo, Iamarino fez vídeos que atingiram 380 mil pessoas simultaneamente. O vídeo gravado da live de 20 de março, sobre o cenário da pandemia no mundo, atingiu mais de 5 milhões de visualizações em poucos dias.

Desde então, Iamarino já deu entrevistas para dezenas de veículos de imprensa e virou referência no Brasil para falar sobre a atual pandemia e o modo como o Brasil vem lidando, com dificuldade, com o vírus. As credenciais do pesquisador não impediram que ele ganhasse um grupo de “inimigos”.

Na última semana, Iamarino tem sido alvo de ataques coordenados nas redes sociais. Os ataques o acusam de alarmismo e “fake news” por ele ter previsto, em março, que o Brasil poderia chegar a um milhão de mortos durante a pandemia. Os ataques dizem que, diante das 92 mil mortes de agora, Iamarino provou que estava errado e que apenas tentou espalhar pânico.

Os ataques parecem não levar em conta o conteúdo do vídeo. À ocasião, Iamarino divulgou um estudo do Imperial College britânico que dizia que, caso o Brasil não tomasse nenhuma medida para conter a pandemia, ele alcançaria a marca de um milhão de mortos. Caso nada fosse feito, frisa-se. O Brasil, claro, tomou diversas medidas importantes, ainda que insuficientes.

Com quarentena de quase quatro meses, que fechou escolas, universidades, restaurantes, bares e comércios, além do uso obrigatório de máscaras e investimentos em respiradores, hospitais de campanha e testagem, o País conseguiu, sim, impedir que a curva da pandemia fosse ainda pior do que está. Atualmente, o brasil é o segundo país do mundo com mais casos, mais de 2,66 milhões, e também o segundo em mortes, com mais de 92 mil.

Em apoio a Atila e contra os ataques, fãs subiram no Twitter a hashtag #ObrigadoAtila, que chegou a ficar em primeiro lugar nos Trending Topics do Brasil, que aponta as hashtags mais populares. O público agradece o biólogo pelo serviço prestado de divulgação científica durante a pandemia.

Em sua coluna no jornal Folha de S.Paulo, Atila falou indiretamente sobre os ataques e alertou para as “ignorâncias” em tempos de coronavírus: “Em se tratanto de ignorância, vacinas são como a democracia, a ignorância alheia também me põe em risco”.

O deputado estadual pelo PSOL-SP chegou a postar mensagem de apoio a Atila, usando a hashtag.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.

Você já leu todo conteúdo gratuito deste mês.

Assine e tenha o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Já é assinante? Entre aqui.

Plano mensal Revista Digital

Plano mensal Revista Digital + Impressa

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

R$ 15,90/mês

R$ 44,90/mês

Plano mensal Revista Digital

Acesse ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

ASSINE

Plano mensal Revista Digital + Impressa

Acesse ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças + Edição impressa quinzenal com frete grátis.

ASSINE