BC abrirá protocolos do Pix para todos países que querem copiar de graça

A declaração de Campos Neto foi feita em evento organizado pela CFA Society Brazil, em São Paulo
O objetivo do BC é de atrair ativos digitais para o País e não "colocá-los para fora", como outros países fariam (Rafael Henrique/SOPA/Getty Images)
O objetivo do BC é de atrair ativos digitais para o País e não "colocá-los para fora", como outros países fariam (Rafael Henrique/SOPA/Getty Images)
E
Estadão ConteúdoPublicado em 11/11/2022 às 15:16.

O presidente do Banco Central, Roberto Campos Neto, disse nesta sexta-feira, 11, que a autarquia deve liberar em novembro os protocolos do Pix para que outros países possam copiar gratuitamente o sistema de pagamentos instantâneo.

"Agora, em novembro, a gente vai abrir tudo que a gente fez no Pix, em termos de protocolo, para todos os bancos centrais que quiserem copiar, de graça", afirmou.

A declaração de Campos Neto foi feita em evento organizado pela CFA Society Brazil, em São Paulo.

Ativos digitais

O presidente do Banco Central disse também que a autarquia quer incentivar bancos a atuarem como custodiantes de ativos digitais. "Exatamente para você não ter um problema de concentração de custódia e porque gente acha que vai aumentar a eficiência dos bancos na hora em que eles passarem a ver ativos e passivos na forma de token", comentou.

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

Antes, o presidente do BC havia dito que o perigo em torno do sistema de criptoativos é a concentração de custódia, como no caso das exchanges de criptomoedas FTX e Binance.

Ele acrescentou que o objetivo do BC é de atrair ativos digitais para o País e não "colocá-los para fora", como outros países fariam.

LEIA TAMBÉM:

O Banco Central está abraçando a tecnologia blockchain: investidores devem se importar?

Quando é a Black Friday 2022? Veja 6 dicas para se preparar