Brasil

Anvisa determina apreensão de suplemento com catuaba e ginseng

Segundo a agência, substâncias são farmacologicamente ativas e não podem ser utilizadas em alimentos

Estoque de ginseng: Composto Nutritivo Energit, que continha a raiz, foi proibido (Richardfabi/Wikimedia Commons)

Estoque de ginseng: Composto Nutritivo Energit, que continha a raiz, foi proibido (Richardfabi/Wikimedia Commons)

DR

Da Redação

Publicado em 31 de janeiro de 2011 às 10h54.

Brasília - A Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa) determinou a apreensão do suco Composto Nutritivo Energit, após relatório técnico de inspeção da Diretoria de Vigilância Sanitária e Ambiental do Estado da Bahia (Divisa) atestar a adição de catuaba e ginseng na composição do produto, vendido sob a forma de pó para suco.

De acordo com a Anvisa, a catuaba e a fáfia (ginseng) são substâncias farmacologicamente ativas e, portanto, não são permitidas em alimentos. A resolução foi publicada hoje (31) no Diário Oficial da União.

O Composto Nutritivo Energit - mistura para preparo de suco ou vitamina C - contém fibras e é fabricado pela empresa Luciano de Jesus Santos, em Lauro de Freitas, na Bahia. A resolução entra em vigor hoje (31).

Acompanhe tudo sobre:AnvisaFarmáciasSaúdeSaúde no BrasilSetor farmacêutico

Mais de Brasil

FGTS pode ser descontado do salário?

Quem tem direito ao FGTS?

Como tirar a carteira de trabalho pela primeira vez

Quais os direitos de quem tem o Cadastro Único?

Mais na Exame