“Você ainda está assistindo?” Netflix ajuda você a cancelar assinatura

"Esperamos que essa nova abordagem ajude as pessoas a guardar o tão suado dinheiro delas", diz o diretor da empresa

“Você ainda está assistindo?” — indaga a Netflix depois de um período de inatividade por parte do usuário da plataforma de streaming. A mensagem, comum em casos de maratona, quando as pessoas assistem a vários episódios de uma série de uma vez, pode acabar se tornando comum também para aqueles que não usam o serviço e desejam cancelá-lo.

Em um comunicado publicado no blog da companhia, o diretor Eddy Wu afirmou que “na Netflix, a última coisa que queremos é que as pessoas paguem por algo que não estão usando”. “Então estamos perguntando para todo mundo que não nos assistiu por um ano depois de assinar o produto se eles realmente querem manter a assinatura. E vamos fazer o mesmo por quem parou de assistir por mais de dois anos. Os membros vão começar a receber e-mails e notificações no aplicativo ainda essa semana”, escreveu Wu. “Se a vontade de permanecer não for confirmada, a assinatura será cancelada automaticamente.”

Wu também garante que, quem tiver a sua assinatura cancelada, poderá retornar em até 10 meses e ainda ter todas as suas preferências mantidas.

Se o usuário não concordar com o cancelamento, a empresa afirma que “é fácil assinar novamente o serviço”. “As contas inativas representam menos da metade de um porcento dos nossos membros totais, mas já estão sendo considerados para o nosso guia financeiro”, afirmou Wu.

A empresa tem sido uma das poucas a se beneficiar com a pandemia do coronavírus. Em 16 de abril, as ações da Netflix atingiram seu maior valor da história, 439 dólares, o que fez a empresa superar o valor de mercado da Disney pela primeira vez. Como se vê, a Net­flix e os demais serviços de strea­­­ming podem sair da quarentena ainda mais fortes. Só no primeiro trimestre de 2020, enquanto o coronavírus se espalhava pelo mundo, a empresa de streaming de Los Gatos conquistou 16 milhões de novos assinantes.

Globalmente, a audiência das plataformas de strea­­­ming de vídeos cresceu 20% de 9 e 23 de março, de acordo com a Conviva, consultoria americana especializada no mercado de vídeos. Para 2020, a estimativa é que a pandemia acelere o crescimento da base de novos assinantes de serviços de streaming no mundo.

A consultoria Strategy Analytics prevê um total de 949 milhões de assinantes até o fim do ano, 5% mais do que a estimativa calculada antes do novo coronavírus. Em 2019, eram 805 milhões. Com isso o faturamento do mercado, que alcançou 24 bilhões de dólares no ano passado, também tende a acelerar.

“Esperamos que essa nova abordagem ajude as pessoas a guardar o tão suado dinheiro delas”, disse Wu.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.

Você já leu todo conteúdo gratuito deste mês.

Assine e tenha o melhor conteúdo do seu dia, talvez o único que você precise.

Já é assinante? Entre aqui.

Plano mensal Revista Digital

Plano mensal Revista Digital + Impressa

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

R$ 15,90/mês

R$ 44,90/mês

Plano mensal Revista Digital

Acesse ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

ASSINE

Plano mensal Revista Digital + Impressa

Acesse ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças + Edição impressa quinzenal com frete grátis.

ASSINE