Tecnologia

United Airlines premia hackers com milhões de milhas aéreas

Programadores descobriram falhas de segurança na rede de computação da empresa aérea, em um fato inédito nos Estados Unidos


	Avião da United Airlines: a United confirmou à Reuters que pagou dois prêmios de 1 milhão de milhas cada
 (Divulgação)

Avião da United Airlines: a United confirmou à Reuters que pagou dois prêmios de 1 milhão de milhas cada (Divulgação)

DR

Da Redação

Publicado em 16 de julho de 2015 às 12h57.

Nova York - A United Continental Holdings premiou com milhões de milhas aéreas de viagem hackers que descobriram falhas de segurança na rede de computação da empresa aérea, em um fato inédito nos Estados Unidos.

A United confirmou à Reuters que pagou dois prêmios de 1 milhão de milhas cada, que equivalem a dezenas de voos domésticos de graça pela companhia. A United, porém, não confirmou tuítes de indivíduos que dizem ter recebido prêmios menores.

A empresa, com sede em Chicago, espera avançar na área de segurança online das linhas aéreas, oferecendo "recompensas" a quem revelar riscos cibernéticos.

Através deste programa, hackers pesquisam e sinalizam problemas antes que hackers criminosos possam se aproveitar deles. O custo pode também ser menor do que contratar uma consultoria externa.

"Nós acreditamos que este programa irá reforçar ainda mais nossa segurança e permitir que continuemos oferecendo um serviço de excelência," disse a United em seu site, se recusando a fazer qualquer comentário adicional.

Além das recompensas, a United disse também que testa internamente seus sistemas e que contrata empresas de segurança cibernética para manter seus sites seguros.

Acompanhe tudo sobre:Aviaçãocompanhias-aereasHackersprogramas-de-milhagemUnited Airlines

Mais de Tecnologia

Apagão cibernético afetou 8,5 milhões de computadores da Microsoft

Uber apresenta instabilidade no app nesta sexta-feira

Zuckerberg diz que reação de Trump após ser baleado foi uma das cenas mais incríveis que já viu

Companhias aéreas retomam operações após apagão cibernético

Mais na Exame