Tecnologia
Acompanhe:

Um código escondido indica o lançamento de nova função da Apple

Código encontrado no aplicativo Apple Music para Android pode dar indícios do próximo passo da gigante americana

Apple: empresa tem tentado se distanciar dos iPhones (SOPA Images/Getty Images)

Apple: empresa tem tentado se distanciar dos iPhones (SOPA Images/Getty Images)

T
Tamires Vitorio

11 de setembro de 2020, 09h59

Um código na versão da Apple Music para celulares com o sistema operacional Android deu pistas sobre uma nova função da Apple que deve ser lançada em breve. Encontrado pelo site 9to5Google, especializado na cobertura dos celulares Android, o código faz menção ao "Apple One", que seria nada mais, nada menos do que um pacote de assinaturas da marca americana --- que deve incluir, também, o streaming de música.

O código encontrado pelo site apresenta a seguinte mensagem "a sua assinatura da Apple Music será incluída no Apple One começando %s. Você não será cobrado pelas duas assinaturas. Você pode gerenciar a sua inscrição usando seu iPhone, Apple TV ou Mac".

A descoberta confirma o que a agência de notícias americana Bloomberg suspeitou no começo do ano, quando falou que a Apple deveria lançar um pacote de assinaturas para todos os seus serviços no dia do lançamento do iPhone 12. A ideia do Apple One seria oferecer aos clientes um pacote com descontos para a assinatura da Apple TV, da Apple Music, do Apple Arcade e do Apple News+. À época, a Bloomberg também afirmou que uma assinatura do iCloud poderia fazer parte do pacote.

No segundo trimestre de 2020, o iPhone representava 44,2% da receita da Apple, menos da metade. O percentual é muito diferente do que a Apple tinha no quarto trimestre de 2017, quando o iPhone era 69,7% do negócio.

Com assinaturas mensais de seus serviços, a Apple passa a ter uma receita mais previsível e menos dependente dos resultados de vendas trimestrais de dispositivos eletrônicos, que podem ser afetadas por crises, como a quarentena do novo coronavírus.

Nos últimos dois anos, comparando o segundo trimestre de 2018 com o de 2010, a receita da área de serviços da Apple cresceu 23%, graças a serviços como o Apple Music, o Apple TV+, o iCloud e o Apple Arcade.

Em ordem decrescente, as divisões mais lucrativas da Apple são iPhone, Serviços, Mac, iPad e Vestíveis, Casa e Acessórios.

O Apple One, então, pode ser uma boa jogada para aproveitar um mercado que só cresce: o de serviços. A Amazon, por exemplo, oferece seu pacote de assinaturas (o Prime) por 9,90 reais no Brasil. Com ele, o usuário consegue acessar o serviço de streaming da companhia, bem como ter frete grátis na hora das compras.

No começo dessa semana a Apple confirmou a data de seu evento online no qual o novo iPhone deve ser anunciado para o dia 15 de setembro.

Ainda se sabe pouco sobre os novos aparelhos da Apple, mas estima-se que eles venham pela primeira vez com tecnologia 5G. Também são esperados 4 modelos este ano, dois iPhones 12 e dois iPhones 12 Pro, ambos com um design diferente, com bordas mais retas do que as versões atuais — se os vazamentos estiverem corretos, os aparelhos devem ter um visual semelhante aos iPhones 5.

É esperado também que a Apple anuncie o Apple Watch Series 6. Rumores apontam que o aparelho será capaz de detectar a saturação de oxigênio no sangue do usuário.

A Apple quer tudo --- menos ficar parada em seus iPhones.