Tecnologia

Céu virtual vai iluminar o escritório do futuro

Com 288 mini-LEDs, telas fixadas no teto podem acabar com a iluminação deprimente do escritório

Pôr-do-sol em Roma: os mini-LEDs podem criar formas móveis como nuvens e reproduzir a luz do dia, nascer e pôr-do-sol, de acordo com a hora (Filippo Monteforte/AFP)

Pôr-do-sol em Roma: os mini-LEDs podem criar formas móveis como nuvens e reproduzir a luz do dia, nascer e pôr-do-sol, de acordo com a hora (Filippo Monteforte/AFP)

DR

Da Redação

Publicado em 6 de março de 2012 às 14h35.

Berlim - Para acabar com a iluminação deprimente do escritório, cientistas alemães desenvolveram um sistema, apresentado no Salão de Tecnologias da Informação e da Comunicação de Hannover (CeBIT), que reproduz no teto um "céu virtual".

O sistema "céu virtual", utiliza telas planas cumpridas fixadas no teto que, graças a 288 mini-LEDs podem produzir, cada uma, vermelho, azul, verde e branco, oferecendo 16 milhões de combinações de cores.

Os mini-LEDs também podem criar formas móveis como nuvens e reproduzir a luz do dia, nascer e pôr-do-sol, de acordo com a hora.

Os funcionários podem, assim, ter a sensação de trabalhar sob um sol de primavera, adornado aqui e ali com as nuvens que passam lentamente sobre suas cabeças.

Estudos mostram que a sensação de espaço aumenta a produtividade do trabalhador significativamente, disse à AFP Matthias Bues, o cientista do Instituto Fraunhofer, que desenvolveu este sistema.

"Você realmente se sente como se estivesse fora", ressaltou.

"A luz é realmente uma grande influência sobre o seu bem-estar e as pessoas gostam de sentir que não estão realmente no escritório", acrescentou.

O produto chama a atenção desde o anúncio de seu lançamento este ano na CeBIT, a maior exposição internacional de alta tecnologia realizada em Hannover (norte da Alemanha).

"Várias empresas têm apresentado grande interesse e, não se enganem sobre isso, em breve você verá em muitos escritórios", afirmou.

Hospitais e asilos também manifestaram o seu entusiasmo, porque "isso poderia ter efeitos terapêuticos reais para pessoas que não podem sair", como os idosos ou os deficientes, disse Bues.

E como o "céu virtual" utiliza mini-LEDs e não lâmpadas fluorescentes, respeita mais o meio ambiente do que a maioria dos sistemas luminosos.

Os painéis, que medem 50 cm² por peça, custam 1.200 euros.

O CeBIT acontece até o dia 10 de março em Hannover (norte da Alemanha) e recebe cerca de 4.200 expositores de 70 países, que vieram apresentar suas últimas novidades tecnológicas.

Acompanhe tudo sobre:AlemanhaCeBITEuropaPaíses ricos

Mais de Tecnologia

Apagão cibernético afetou 8,5 milhões de computadores da Microsoft

Uber apresenta instabilidade no app nesta sexta-feira

Zuckerberg diz que reação de Trump após ser baleado foi uma das cenas mais incríveis que já viu

Companhias aéreas retomam operações após apagão cibernético

Mais na Exame