Uber enxuga prejuízos e triplica tamanho do negócio de delivery

Negócio de mobilidade da empresa encolheu 52% entre o último trimestre de 2019 e o de 2020.

A Uber divulgou nesta quarta-feira, 10, o resultado do último trimestre fiscal do ano passado, que ficou em linha com o que era esperado: a empresa conseguiu diminuir os prejuízos, ainda que impactada pela pandemia de covid-19 e pela diminuição da atividade econômica.

A Uber divulgou faturamento de 3,1 bilhões de dólares, queda de 15% ante o mesmo período em 2019. Este é o terceiro trimestre de queda consecutiva, diante dos impactos da pandemia. Apesar disso, o prejuízo diminuiu, de 1,09 bilhão em 2019, 968 milhões, uma diferença de 12%.

No acumulado do ano, o prejuízo da Uber caiu de 8,5 bilhões de dólares em 2019 para 6,7 bilhões em 2020. A empresa realizou grandes demissões durante a pandemia, cortando 25% dos funcionários.

O número de viagens no último trimestre do ano também caiu, de 1,9 bilhão em 2019 para 1,4 bilhão no final do ano passado, uma queda de 24%. O número de consumidores ativos mensalmente teve queda no período, com 93 milhões no trimestre encerrado em dezembro passado, ante 111 milhões um ano antes.

O negócio de mobilidade encolheu pela metade no ano, com queda de 52% ante o último trimestre de 2019.

Nos primeiros resultados após a instauração de práticas de distanciamento social, a Uber ganhou terreno no mercado de delivery e entrega de comida, embora tenha sofrido perdas no negócio principal, de caronas.

A Uber Eats triplicou de tamanho entre o final de 2019 e de 2020, com uma alta de 224% no faturamento. O segmento de delivery também conseguiu reduzir danos. O prejuízo Ebitda do negócio de entregas foi de 145 milhões de dólares no último trimestre, uma queda de 316 milhões na comparação anual.

Por esse motivo, a empresa está investindo em aquisições para o mercado de entregas. Além da incorporação da Cornershop, no início do mês a Uber anunciou a aquisição da Drizly, uma startup americana que faz entregas de bebidas alcóolicas.

As ações da empresa subiam 5,91% na NYSE no momento da divulgação dos resultados.

 

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.