A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Como o TikTok de uma adolescente afetou milhares de pesquisas científicas

Vídeo de menos de um minuto ultrapassou 4 milhões de visualizações e interrompeu o trabalho de 4.600 estudos; entenda o motivo

No dia 23 de julho, a adolescente norte-americana Sarah Frank iria publicar um vídeo relativamente inocente no TikTok. "Bem-vindos aos side hustles que eu recomendo tentar", disse ela nos primeiros segundos, sentada em seu quarto e sorrindo para a câmera. Em inglês, "side hustles" significa alguma atividade rentável para conseguir aquela grana extra.

Uma das dicas de Frank em seu vídeo de 56 segundos foi para utilizar o site Prolific.co, onde usuários respondem pesquisas e recebem uma quantia em dinheiro em troca. A ferramenta é essencial para cientistas que conduzem pesquisas comportamentais e revolucionou vários campos de pesquisa após seu lançamento.

“Esse é um empreendimento que exige muito tempo e mão-de-obra. A pesquisa online torna tudo muito mais fácil. Você programa uma pesquisa, a coloca online e, em um dia, tem 1.000 respostas. Isso mudou as ciências sociais", disse Nicholas Hall, diretor do Behavioral Lab da Stanford School of Business.

O que Frank não esperava é que seu vídeo iria acumular 4,1 milhões de visualizações no mês seguinte a publicação. O site, que não contava com ferramenta de triagem, de repente recebeu uma enxurrada de usuários mulheres, dos Estados Unidos e em torno da idade da jovem de 18 anos.

Para os pesquisadores, a mudança repentina da demografia da plataforma gerou confusão e ameaçou a reputação do Prolific, que é um dos maiores sites para pesquisas do tipo.

@sarahndomi’m excited for this series!! #sidehustles #sarahssidehustles #prolific #makingmoney #sidehustleideas♬ original sound - sarah :)

“Notamos um grande salto no número de participantes na plataforma dos EUA, de 40 mil para 80 mil. O que é ótimo, no entanto, agora muitos de nossos estudos têm uma distorção de gênero, em que talvez 85% dos participantes são mulheres. Além disso, a média de idade está em torno de 21", escreveu um membro do Stanford Behavioral Laboratory em um fórum do Prolific.

De acordo com o site The Verge, a psicóloga Hannah Schecter foi a primeira a desvendar o mistério. "Dado o momento, a viralidade do vídeo e os dados demográficos dos seguidores do usuário...", ela publicou em sua conta no Twitter com um link ao vídeo de Frank.

Cerca de 4.600 estudos foram interrompidos por conta do TikTok de Frank, aproximadamente 1/3 das pesquisas ativas na plataforma na época do vídeo. Destes, a grande maioria deve ser recuperável, de acordo com Phelim Bradley, cofundador e CTO da Prolific.

“Antes do Tiktok, cerca de 50% das respostas em nossa plataforma vinham de mulheres”, disse Bradley ao The Verge. “O aumento atingiu 75% por alguns dias, mas, desde então, esse número tem diminuído, e atualmente estamos de volta a cerca de 60% das respostas sendo de mulheres”.

Um mês depois do vídeo de Frank, a Prolific reembolsou pesquisadores que foram afetados pela onda de respostas e introduziu uma nova ferramenta de triagem demográfica.

  • Como a vida pós-vacina vai mudar a sua vida profissional? Assine a EXAME e entenda.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também