Por que a nova atualização do iPhone pode ser um problema para o Facebook

Apple vai exigir autorização para aplicativos coletarem dados de rastreio, o que deve impactar os negócios de publicidade direcionada da rede social

O Facebook está com problemas no horizonte, e sabe disso. A empresa publicou uma nota para desenvolvedores da família Facebook de apps com detalhes sobre como vai lidar com as atualizações que a Apple vai implementar no iOS 14, o novo sistema operacional da companhia, anunciado em junho, durante a Conferência Global de Desenvolvedores da Apple (WWDC), e que deve estar disponível a partir da segunda quinzena de setembro.

A Apple vai implementar uma nova funcionalidade nos iPhones, na próxima versão do sistema operacional, que vai trazer uma necessidade de autorização para aplicativos coletarem dados de rastreio do aparelho que são usados em publicidade online direcionada. Essa mudança afeta diretamente os negócios do Facebook, principalmente no mercado americano, onde o iOS é um dos sistemas operacionais mais utilizados.

O debate é técnico, porém importante. A indústria de publicidade designa um código único para cada dispositivo, chamado de Identificação para Anunciantes (IDFA, na sigla em inglês). Com essa informação, os anunciantes conseguem medir a efetividade de anúncios, principalmente por causa de métricas de exibição em diferentes sites e aplicativos. O Facebook usa esse identificador como parte da Audience Network, uma ferramenta que disponibiliza para desenvolvedores na plataforma, e afirmou que deixará de coletar o dado por causa das restrições.

“Para desenvolvedores e publicadores usando o Audience Network, nossa habilidade de entregar publicidade direcionada no iOS 14 vai ser limitada. Como resultado, alguns usuários do iOS 14 podem não ver qualquer publicidade do Audience Network, enquanto outros podem continuar vendo anúncios, mas que serão menos relevantes”, escreveu o Facebook um post de blog para desenvolvedores na quarta-feira, 27.

Segundo a empresa, pode ser difícil medir o impacto dessa mudança, mas em testes preliminares o faturamento da plataforma Audience Network foi reduzido em 50%. O próprio Facebook admitiu que o buraco pode ser ainda maior e que está trabalhando em estratégias para contornar o problema. Como uma empresa de publicidade direcionada, a maior parte do faturamento do Facebook vem desse negócio: no segundo trimestre deste ano, a companhia faturou 18,3 bilhões de dólares em publicidade. O faturamento não publicitário foi de 366 milhões de dólares no mesmo período.

“Essa não é uma mudança que queríamos fazer, mas, infelizmente, as atualizações da Apple no iOS 14 forçaram a nossa decisão”, afirmou a empresa. A medida, comemorada nas redes sociais, no entanto, deve impactar mais os pequenos negócios que usam o Facebook do que propriamente a gigante rede social.

Apesar disso, a mudança da Apple é um passo na direção da privacidade de usuários. A empresa tem investido nessa abordagem com publicidade sobre como seus produtos respeitam a privacidade de e lançamento de funcionalidades que não coletam informações, como o Sign In com Apple, que permite logar em aplicativos e sites utilizando o sistema da empresa.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.