Tecnologia

Ação policial contra prostitutas terá cobertura via Twitter

Prevista para acontecer na próxima semana e sem local definido, polêmica operação foi anunciada pela polícia do Condado de Prince George, nos Estados Unidos


	Prostituição: atividade não é considerada crime no Brasil, mas o mesmo não acontece em Maryland
 (Ian Waldie/Getty Images)

Prostituição: atividade não é considerada crime no Brasil, mas o mesmo não acontece em Maryland (Ian Waldie/Getty Images)

DR

Da Redação

Publicado em 2 de maio de 2014 às 13h31.

São Paulo - As prostitutas estão nervosíssimas no Condado de Prince George, em Maryland, nos EUA. Tudo porque a polícia local decidiu transmitir pelo Twitter a próxima ação contra as profissionais do sexo.

Um texto publicado num blog da corporação dá conta da operação. Sem data nem local definidos, a incursão terá fotos e outros conteúdos produzidos na hora divulgados na página da polícia no Twitter com a hashtag #PGDPVice.

"Estamos usando essa tática inovadora e sem precedentes para alertar potenciais participantes que este tipo de comportamento criminoso não é bem-vindo no Condado de Prince George", afirma a corporação no texto.

Polêmica

A novidade vem gerando polêmica. Inicialmente, a Polícia de Prince George anunciou a ação no Twitter com a foto de uma mulher algemada - o que motivou críticas.

"Se não é para prender prostitutas (mas sim para salvar vítimas traficadas), por que esta foto ainda está aí?", afirmou Christina Parreira em tuíte sobre a ação policial.

Polícia no Twitter

É bom lembrar: ter polícia com página no Twitter não é privilégio do Condado de Prince George. No Brasil, a Polícia Federal e as polícias militares de Rio Grande do Sul, Rio de Janeiro e São Paulo são algumas das instituições que também mantêm perfil na rede social.

Por aqui, a prostituição não é considerada crime, mas sim o rufianismo (ou aproveitamento de prostituição alheia). A punição para a conduta consta no artigo 230 do Código Penal.

Acompanhe tudo sobre:EmpresasEmpresas americanasEmpresas de internetEstados Unidos (EUA)InternetPaíses ricosPoliciaisProstitutasRedes sociaisTwitter

Mais de Tecnologia

Empresas chinesas obtêm primeira licença de demonstração de carros inteligentes sem motorista

Apple vê estagnação nas vendas de iPhone enquanto mercado global de smartphones cresce

TikTok impulsiona crescimento da cultura sul-coreana e alcança R$ 777 bilhões

Google deve comprar empresa de cibersegurança por US$ 23 bilhões, diz WSJ

Mais na Exame