Linux espera se beneficiar do acordo Nokia-Microsoft

Segundo os linuxistas, o acordo entre as duas empresas pode incentivar fabricantes menores de smartphones a buscar plataformas alternativas de software

Barcelona  - A LiMo, unidade da Fundação Linux que visa produzir um sistema operacional para aparelhos móveis, espera se beneficiar da parceria entre Microsoft e Nokia. O acordo entre as duas empresas pode incentivar fabricantes menores de smartphones a buscar plataformas alternativas de software, disse o diretor da LiMo nesta segunda-feira.

A adaptação do sistema operacional da Linux para smartphones começou a ganhar impulso com a ascensão do Android, do Google, à liderança nos rankings mundiais do último trimestre, favorecida por uma variedade de modelos de muitos fabricantes.

"Com a Microsoft e a Nokia em parceria e o Android ficando cada vez mais popular, outras fabricantes precisarão buscar outras formas de evitar o colapso irreversível de suas margens, como o que atingiu os fabricantes de PCs", afirmou o diretor da LiMo à Reuters, Morgan Gillis.

A LiMo, uma fundação sem fins lucrativos, espera se beneficiar de seu foco em software, se destacando junto às operadoras por ter maior conhecimento sobre desenvolvimento de programas. Porém, ela precisou se esforçar para ganhar ampla adoção fora do Japão.

O mercado para plataformas de software em celulares foi liderado pelo Symbian, da Nokia, durante uma década. Sua posição foi enfraquecida pela entrada da Apple no mercado em 2007, com o iPhone, culminando no anúncio da Nokia, na semana passada, de que a fabricante adotaria o Windows Phone, da Microsoft, como sua plataforma primária.

"A nova parceria irá beneficiar muito a Microsoft, embora haja grande risco de que os fabricantes que já trabalham com o Windows Phone se sintam prejudicados", disse Gillis.

"Também é, claramente, um grande negócio para a Nokia, mas a empresa não tinha muitas outras opções à vista", disse.

Nesta segunda-feira a LiMo revelou uma nova versão de sua plataforma, que deve chegar ao mercado por meio de telefones vendidos no segundo semestre de 2011.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.