Google estaria prestes a lançar plataforma Android para TVs, diz site

Nova iniciativa está longe da ambição de revolucionar por trás da antiga e fracassada Google TV; interface seria básica e baseada em cards, como os apps atuais

Os planos do Google envolvendo TVs já vêm de alguns anos, mas nunca se concretizaramde fato. Quer dizer, pelo menos até agora: segundo documentos obtidos pelo The Verge, a empresa estaria prestes a entrar de vez nesse mercado, com uma variação de seu sistema operacional chamada de Android TV, uma “evolução” do fracassado Google TV.

A nova iniciativa está longe de ser tão ambiciosa quanto a original, e não tem planos de transformar o televisor em uma espécie de smartphone gigante, como mencionou o Verge. A proposta é mais parecida com as da Apple TV e da mais recente FireTV, da Amazon: o sistema seria "uma interface de entretenimento, não uma plataforma computacional”, escreveu o Google nos arquivos obtidos pelo site. “Tudo gira em torno de encontrar e aproveitar conteúdo com o mínimo possível de trabalho.”

Segundo a reportagem, a companhia estaria pedindo para que desenvolvedores criassem “aplicativos simples, para uma interface de set-top box extremamente simples”. Ela seria baseada em cards – da mesma forma que quase todos os atuais aplicativos do Google –, e cada um deles representaria filmes, séries, músicas, aplicativos, entre outros itens.

O controle remoto seguiria esse padrão “básico”, com um direcional e comandos de Enter, Home e Back, e um controle para games ainda seria disponibilizado, da mesma forma que na FireTV.

Por ser baseada no Android, a plataforma usada nos eventuais dispositivos ainda aceitaria comando de voz e traria as clássicas notificações, mas de forma mais sutil. Aplicativos como Netflix, Hulu (que funciona apenas lá fora), Vevo, YouTube, Hangouts, entre outros, estariam todos disponíveis, assim como a Play Store, para adquirir novos apps – além de filmes e músicas, claro, já que o Google não estaria disposto a depender apenas de terceiros.

A Android TV também reconheceria os padrões de comportamento do usuário, bem como faz hoje o Google Now. Recomendações baseadas em conteúdos já acessados devem ser algo sempre presente, assim como a capacidade de retomar um filme do ponto onde você parou da última vez que usou o aparelho com o sistema.

As dúvidas que ficam são relacionadas ao ChromeCast, pequeno dispositivo de 35 dólares que parecia ser a solução do Google para as TVs. Caso a nova iniciativa venha a ser confirmada, acredita-se que o antigo aparelho não seja deixado de lado, mas sim sirva como opção para desenvolvedores e consumidores. Não há previsão de chegada da Android TV ao mercado, mas isso deve ocorrer em breve – o Google I/O acontece no final de junho, e pode trazer novidades em relação ao tema.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 3,90/mês
  • R$ 9,90 após o terceiro mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 99,00/ano
  • R$ 99,00 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 8,25 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também