Google altera resultados de busca na Austrália e é alvo de críticas

Os experimentos acontecem após nova legislação gerar intriga entre a empresa e o governo australiano

O Google está fazendo experimentos com os resultados de busca na Austrália. A gigante afirmou que removeu alguns links de notícias locais que atingiram “cerca de 1% dos usuários australianos”, mas recebeu diversas críticas pela ação.

Os experimentos acontecem em meio a uma briga com o governo australiano, após o mesmo anunciar uma nova legislação que obrigaria a empresa-filha da Alphabet a pagar sites de notícia por exibir seus conteúdos nas buscas.

A legislação, intitulada “Código de negociação da mídia de notícias”, vem sendo criticada pelo Google, que acredita que pagar por links para determinados editores “danificaria fundamentalmente” a busca do site. “Apesar do valor que eles já recebem em tráfego gratuito de usuários do Google”, explicou a empresa em seu comunicado.

“Em 2018, o valor que fornecemos aos editores apenas por meio de tráfego foi estimado em 218 milhões de dólares”, disse um porta-voz do Google.

A proposta do Google para o código é pagar pelas notícias através do Google News Showcase, um novo programa que “paga editores por conteúdo de alta qualidade”. Portanto, em vez de pagar por conteúdos que apareceriam nos resultados de pesquisa, a empresa faria isso por meio de sua própria plataforma voltada para notícias.

De acordo com informações do Australian Financial Review (AFR), os engenheiros do Google estariam trabalhando em um projeto secreto desde dezembro para remover os australianos das suas pesquisas (os tais “experimentos” citados anteriormente), caso o governo não concordasse com a proposta de mudança da legislação.

“Na época, entendeu-se que o Google estava explorando uma série de cenários para avaliar o efeito que o código poderia ter sobre seus produtos”, afirmou o AFR.

A Nine, empresa de mídia dona do AFR, disse em entrevista para o The Guardian: “O Google agora está demonstrando como é fácil fazer com que os provedores de notícias australianos desapareçam da Internet – uma ilustração assustadora de seu poder de mercado”.

Para minimizar a repercussão dos experimentos, a gigante de tecnologia disse que realiza “dezenas de milhares de experimentos” todos os anos e que o atual acabaria em fevereiro.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.