A página inicial está de cara nova Experimentar close button

Bilionário que perdeu chance de comprar TikTok agora é rival

Em 2017, quando não conseguiu comprar o aplicativo que hoje está na moda, o empresário focou seus esforços em fundar uma empresa que competiria no mesmo mercado

Em 2017, Su Hua, fundador de uma startup chinesa chamada Kuaishou Technology, estava prestes a fechar o maior negócio de sua carreira: a aquisição de um novo serviço de vídeo que se tornaria o TikTok. Mas a arquirrival ByteDance venceu a disputa com uma oferta melhor, e Su perdeu o que se tornou um fenômeno global.

Agora, o empresário de 38 anos está sendo recompensado de alguma forma. Em fevereiro, a Kuaishou abriu o capital em Hong Kong e levantou mais de US$ 5 bilhões com a força de suas operações de vídeo e comércio em expansão. A ByteDance, por sua vez, entrou na mira do governo dos EUA e depois virou alvo de escrutínio da China, o que deve atrasar sua oferta pública inicial.

Su não está perdendo um minuto. Com bastante caixa do IPO, a Kuaishou aumenta os investimentos para recuperar o atraso em relação à ByteDance, cujo tamanho é quatro vezes maior. A Kuaishou planeja se expandir em países como Brasil e Indonésia em vez de crescer nos EUA, reduto do TikTok. A empresa pretende dobrar a força de trabalho global para 2 mil funcionários até o fim do ano para acelerar o lançamento dos produtos internacionais.

A Kuaishou pode ter uma vantagem sobre seu rival nesses mercados. Enquanto o TikTok tende a se apoiar em adolescentes dançarinos fotogênicos, as estrelas de Su são um grupo diversificado, às vezes simplório, muitas vezes de regiões rurais. Eles incluem um agricultor que bebe muito e um motorista de caminhão de longa distância.

“O TikTok é um grande líder à nossa frente globalmente, mas ainda há muito espaço para crescimento”, disse Su em sua primeira entrevista em quatro anos. “A filosofia da Kuaishou é bastante diferente da de nossos rivais, e isso se baseia em minhas experiências e valores pessoais.”

Para impulsionar a expansão da Kuaishou, o empresário está implementando uma estratégia testada e comprovada de criar o fórum de vídeo do cidadão comum, combinando recomendações baseadas em inteligência artificial com curadoria humana para oferecer uma experiência personalizada. A empresa pretende atingir 250 milhões de usuários mensais fora da China este ano, depois de triplicar essa base nos últimos seis meses. A Kuaishou tem cerca de 300 milhões de usuários diários na China.

Os aplicativos internacionais da Kuaishou incluem o Kwai, o SnackVideo e o Zynn. O Kwai, produto de exportação de maior sucesso e o gêmeo internacional da plataforma doméstica, foi baixado mais de 76 milhões de vezes no primeiro semestre de 2021 em países como Brasil e México, enquanto o SnackVideo conquistou seguidores em mercados como Indonésia e Paquistão.

Produtos globais da Kuaishou Principais mercados Downloads em seis meses
Kwai Brasil, México 76,8 milhões
SnackVideo Indonésia, Paquistão 48,2 milhões
Zynn EUA, Canadá 0,4 milhão
Fonte: Sensor Tower, primeiros seis meses de 2021

Cerca da metade de seus 150 milhões de usuários estrangeiros mensais agora vêm da América Latina, um dos principais mercados do TikTok. No início deste ano, a empresa de Su fechou um acordo para patrocinar a Copa América 2021. Também se comprometeu a gastar US$ 10 milhões para incentivar criadores de conteúdo esportivo no próximo ano.

Como todas as empresas de tecnologia da China, Kuaishou tem motivação extra para se expandir no exterior enquanto o governo chinês aumenta o controle sobre o mercado doméstico. Autoridades chinesas têm se concentrado em líderes como Tencent Holdings e Alibaba Group, mas a incerteza sobre as regulamentações futuras provocou uma onda vendedora no mercado. A ação da Kuaishou quase quadruplicou depois do IPO e agora está perto do preço da oferta.

Orquestrando o impulso da empresa no exterior está o vice de Su, Tony Qiu, um ex-investidor da Bain Capital e executivo da Didi que ajudou a gigante chinesa a crescer no Brasil. Desde que entrou na Kuaishou em agosto passado, tem colocado seu conhecimento do mercado local à prova, liderando uma equipe com contratações de talentos do Google, Netflix e TikTok. Em abril, a Kuaishou também deu as boas-vindas a Wang Meihong, um ex-engenheiro sênior do Facebook, para supervisionar a tecnologia de seus produtos globais.

João Paulo Venancios, de 22 anos, é criador do Kwai e mora na Paraíba. Desde que começou a usar o Kwai em março de 2020, Venancios conquistou 2,6 milhões de seguidores com clipes em que ele e sua avó de 70 anos mostram seu dia a dia vida e cenas de filmes. Comerciantes locais o contratam para fazer apresentações nas lojas, o que rende cerca de R$ 6 mil por mês, o suficiente para alugar uma casa e perseguir seu sonho de se tornar cantor profissional. É uma fama que ele não poderia ter conseguido no TikTok ou no Instagram, cujos algoritmos tornam mais difícil para criadores pouco conhecidos se tornarem virais.

Esteja sempre informado sobre as notícias que movem o mercado. Assine a EXAME

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 4,90/mês
  • R$ 14,90 a partir do segundo mês.

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

exame digital anual

R$ 129,90/ano
  • R$ 129,90 à vista ou em até 12 vezes. (R$ 10,83 ao mês)

  • Acesse quando e onde quiser.

  • Acesso ilimitado ao EXAME Invest, macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo e tecnologia.
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Veja também