Apple se compromete a reduzir emissões de carbono em 75% em 10 anos

As iniciativas da Apple visam reduzir a emissão de carbono em todos os processos de produção, desde o momento da criação das peças por terceiros
Apple: empresa se comprometeu a reduzir emissão de carbono em 75% até 2030 (Anadolu Agency/Getty Images)
Apple: empresa se comprometeu a reduzir emissão de carbono em 75% até 2030 (Anadolu Agency/Getty Images)
T
Tamires Vitorio

Publicado em 21/07/2020 às 09:48.

Última atualização em 23/07/2021 às 10:56.

A Apple anunciou nesta terça-feira (21) que se compromete a reduzir em 75% as emissões de carbono na produção dos iPhones, iPads e Apple Watch até 2030. A ideia da empresa é que, em dez anos, toda a produção será neutra em carbono. Outras soluções serão pensadas para reduzir os 25% restantes, segundo um comunicado divulgado no site oficial da maçã.

Entre as ações anunciadas pela companhia, estão o robô Dave, criado para recuperar ímãs terrestres e tungstênio, um acordo com mais de 70 fornecedores para que eles utilizem "100% de energias renováveis" ao produzir peças para a maçã e um fundo voltado para investir na restauração e proteção das florestas globais. Uma outra iniciativa, chamada de Impact Accelerator, será voltada para o investimento em negócios liderados por minorias.

A companhia criada por Steve Jobs tem sido duramente criticada nos últimos anos por conta do impacto ambiental no desenvolvimento de seus produtos. As iniciativas, então, visam reduzir a emissão de carbono em todos os processos da produção, desde o momento da criação das peças por terceiros.

"A ação climática pode ser a fundação para uma nova era de criação de empregos pontenciais e inovadores, e também de um crescimento durável da economia", afirmou o CEO da Apple, Tim Cook, no comunicado.

Outras gigantes da tecnologia, como a Microsoft, também anunciaram ações voltadas para a redução de carbono até 2030. A fabricante do Windows, no entanto, espera ter excluído todo carbono que emitiu desde sua fundação, em 1975.