Tecnologia

Apple estaria testando método 100 vezes mais veloz que Wi-Fi

Informações nas especificações da nova versão do iOS sugerem que a Apple está realizando testes com tecnologia que usa luz para enviar dados


	iPhone 6s: próxima versão de smartphone pode ter capacidade de se conectar usando luz
 (Divulgação/Apple)

iPhone 6s: próxima versão de smartphone pode ter capacidade de se conectar usando luz (Divulgação/Apple)

Victor Caputo

Victor Caputo

Publicado em 20 de janeiro de 2016 às 16h32.

São Paulo – A Apple pode estar testando uma tecnologia que promete ser cem vezes mais veloz do que o Wi-Fi.

O Li-Fi é uma técnica de transmissão de dados que usa ondulações na luz. Uma pista sobre os possíveis testes da Apple está entre os detalhes técnicos que acompanham a nova versão do iOS, sistema operacional para iPhones e iPads.

Entre as especificações do iOS 9.1, está uma referência ao novo método de transmissão de dados. Um arquivo presente no sistema faz menção a “CapacidadeLiFi”.

A informação foi vista por um usuário do Twitter (@kyoufujibaya) e confirmada por terceiros. A suspeita é que a empresa pode adicionar compatibilidade com a tecnologia Li-Fi na próxima geração seus smartphones, possivelmente chamado iPhone 7.

A tecnologia Li-Fi foi criada por um pesquisador da Universidade de Edimburgo, na Escócia. Diversas empresas têm trabalhado em cima do método que promete ser o sucesso do Wi-Fi.

O Li-Fi usa a luz (daí o “Li”, de light) para transmitir dados. A técnica ainda está em fase de desenvolvimento, mas a estimativa é que seja possível transmitir dados a uma velocidade de 224 gigabits por segundo.

Apesar da menção nas especificações do iOS 9.1, não significa que a Apple, de fato, usará a tecnologia tão cedo.

Para mais informações sobre a tecnologia Li-Fi, veja este texto.

Acompanhe tudo sobre:AppleCelularesEmpresasEmpresas americanasempresas-de-tecnologiaIndústria eletroeletrônicaiOSiPadiPhoneSmartphonesTabletsTecnologia da informaçãoWi-Fi

Mais de Tecnologia

Zuckerberg diz que reação de Trump após ser baleado foi uma das cenas mais incríveis que já viu

Companhias aéreas retomam operações após apagão cibernético

O que faz a CrowdStrike, empresa por trás do apagão cibernético

CrowdStrike: CEO diz que problema que derrubou sistemas Windows está solucionado

Mais na Exame