Tecnologia

Amazon lança site de produção de filmes

Objetivo da nova página é proporcionar a cineastas a oportunidade de submeterem roteiros e filmes que podem acabar nos cinemas

A Warner e a Amazon vão oferecer quase US$ 3 mi aos melhores trabalhos inscritos (Chih-Liang Yeh/Wikimedia Commons)

A Warner e a Amazon vão oferecer quase US$ 3 mi aos melhores trabalhos inscritos (Chih-Liang Yeh/Wikimedia Commons)

DR

Da Redação

Publicado em 17 de novembro de 2010 às 13h56.

Nova York - A Amazon.com está fazendo uma incursão à produção de cinema, com um site que permite aos aspirantes a cineasta submeter roteiros e filmes que podem terminar na telona.

A Amazon Studios, em parceria com a Warner Bros., do grupo Time Warner, anunciou na quarta-feira que oferecerá quase 3 milhões de dólares aos melhores roteiros e filmes piloto inscritos até 31 de dezembro de 2011. A companhia também planeja desenvolver os projetos como filmes comerciais de longa metragem.

Os filmes serão testados junto ao público para obter reações desde o início do processo. A Warner Bros. terá primeiro direito sobre todos os filmes, mas a Amazon poderá procurar outros estúdios caso a parceira rejeite projetos.

A Time Warner não comentou o assunto.

A Amazon, que vende grande variedade de produtos e oferece um serviço de filmes e programas de TV online em formato stream, enfrenta intensa competição de rivais como a Netflix, que está tentando dominar o mercado de locação online de filmes.

Enquanto isso, a Apple TV, que oferece locações via Amazon, e o Google TV lutam para obter acesso a programas originais.

Em agosto, por exemplo, a Netflix fechou acordo exclusivo no valor de 1 bilhão de dólares com o canal de TV paga Epix, pelos direitos online aos filmes de três estúdios --Paramount, da Viacom; Metro-Goldwyn-Mayer Studios; e Lions Gate Entertainment, a proprietária do Epix.

A experiência da Amazon na venda de produtos físicos como livros e discos, apontou Colin Gillis, analista da BGC Partners, "não se repete na distribuição digital. Precisam começar a recuperar o terreno perdido. Oferecer conteúdo original é um caminho".

Acompanhe tudo sobre:AmazonArteCinemaComércioEmpresasEmpresas americanasEmpresas de internetEntretenimentoInternetlojas-online

Mais de Tecnologia

Apagão cibernético afetou 8,5 milhões de computadores da Microsoft

Uber apresenta instabilidade no app nesta sexta-feira

Zuckerberg diz que reação de Trump após ser baleado foi uma das cenas mais incríveis que já viu

Companhias aéreas retomam operações após apagão cibernético

Mais na Exame