Tecnologia

Amazon escolhe executivo de fora da empresa para assumir AWS

Atual CEO do Tableau, Adam Selipsky volta à AWS, onde foi vice-presidente de vendas e marketing por 11 anos.

Adam Selipsky: executivo deixa o Tableau em retorno à Amazon (David Paul Morris/Bloomberg/Getty Images)

Adam Selipsky: executivo deixa o Tableau em retorno à Amazon (David Paul Morris/Bloomberg/Getty Images)

TL

Thiago Lavado

Publicado em 23 de março de 2021 às 17h38.

Última atualização em 24 de março de 2021 às 14h27.

A Amazon escolheu um executivo de fora da empresa para ficar no lugar de Andy Jassy na empresa de computação em nuvem Amazon Web Services (AWS).

O escolhido é o executivo Adam Selipsky, atual presidente-executivo da desenvolvedora de software de análise de dados Tableau, uma empresa que pertence à Salesforce.

Jassy, que foi CEO da AWS desde a fundação da divisão há 15 anos, foi selecionado para substituir Jeff Bezos, que deixará o comando da empresa que fundou neste ano e ficará com um posto no conselho.

Embora a Amazon tenha escolhido Jassy, um funcionário com anos de casa, para assumir o comando, a escolha de Selipsky não significa uma mudança na linha de ação: o executivo não é novo na Amazon, tampouco na AWS.

Selipsky trabalhou na AWS durante 11 anos, segundo um comunicado enviado pelo próprio Jassy a funcionários da empresa nesta terça-feira, 23. Durante esses anos, o executivo esteve à frente da divisão de vendas, suporte e marketing como vice-presidente.

O retorno do executivo está marcado para o dia 17 de maio, antes de um período de transição que trocará os postos de comando no terceiro trimestre do ano.

A troca de cadeiras na empresa segue uma decisão do fundador Jeff Bezos de deixar o comando da empresa, anunciada no início de fevereiro.

Bezos afirmou em carta de saída que acredita que a Amazon está em sua fase mais inovadora e que está animado com a transição.

Ele acrescentou que não pensa em aposentadoria e que sendo presidente do conselho continuará a prestar atenção na Amazon, ao mesmo tempo que consegue se dedicar a suas outras empresas e "paixões".

"Terei o tempo e energia que preciso para focar no Fundo Dia 1, o Fundo Bezos pela Terra, a Blue Origin e o The Washington Post, e minhas outras paixões. Nunca tive tanta energia, e isto não é sobre aposentadoria. Eu estou superapaixonado pelo impacto que acredito que estas organizações podem ter", disse na ocasião.

Acompanhe tudo sobre:AmazonComputação em nuvemTecnologia da informação

Mais de Tecnologia

TikTok impulsiona crescimento da cultura sul-coreana e alcança R$ 777 bilhões

Google deve comprar empresa de cibersegurança por US$ 23 bilhões, diz WSJ

Motorola Moto G24 vale a pena? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Samsung Galaxy A54 é bom? Veja preço, detalhes e ficha técnica

Mais na Exame