20% não dirigiriam se tivessem carro autônomo, diz estudo

75% dos entrevistados acham que dirigem melhor do que a máquina

Não faltam muitos anos para que os veículos autônomos sejam liberados para andar no trânsito global. Com a crescente expectativa sobre a inserção de tal tecnologia no mercado, o site Car Insurance decidiu fazer um estudo para medir a receptividade de 2 mil motoristas aos carros autônomos.

Os resultados indicam que 20% dos entrevistados deixariam de dirigir definitivamente se pudessem ter um veículo autônomo, apostando no conforto e na possibilidade de realizar outras tarefas estando no trânsito.

Outro ponto abordado é a possível queda nos valores dos seguros automotivos, tendo em vista que os veículos autônomos, em tese, não são suscetíveis às falhas humanas provocadas por distrações, sono ou embriaguez. Assim, 33% dos entrevistados disseram que adquiririam um carro com essa tecnologia se o valor do seguro caísse em 80% ou mais.

Mas os resultados não indicaram apenas tendências positivas de opinião sobre veículos autônomos. 75% dos entrevistados disseram acreditar que dirigem melhor do que uma máquina e não deixariam os carros autônomos levarem crianças para a escola, por exemplo.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 9,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Atenção! A sua revista EXAME deixa de ser quinzenal a partir da próxima edição. Produziremos uma tiragem mensal. Clique aqui para saber mais detalhes.
Utilizamos cookies essenciais e tecnologias semelhantes de acordo com a nossa Política de Privacidade e, ao continuar navegando, você concorda com estas condições.