PIX: cadastro de chave começa nesta segunda. Entenda para que serve

A data de lançamento oficial do PIX está prevista para 16 de novembro de 2020

A primeira etapa do lançamento do PIX, o sistema de pagamentos instantâneos desenvolvido pelo Banco Central, começa nesta segunda-feira, 5, com o cadastramento de chaves. Desta maneira, a partir de hoje, os clientes de bancos poderão fazer registros de “chaves” que irão substituir — com o objetivo de simplificação das operações — dados atualmente obrigatórios como número do banco, agência, conta e CPF para recebimento de pagamentos e transferências. 

A chave será o único dado vinculado à conta que o cliente terá que compartilhar para receber transferências ou pagamentos. Este dado pode ser o CPF, o número do celular, um e-mail ou uma chave aleatória, gerada no próprio app de sua instituição. 

Algumas instituições já se adiantaram e ofereceram na última semana o pré-cadastro da chave. A ideia era testar o interesse do cliente ao novo sistema e se antecipar nessa disputa — em tese, uma chave de fácil lembrança e menor risco de uso indevido, como um e-mail, tem mais chances de criar recorrência para o banco a qual esteja vinculada do que um código aleatório ou o CPF. Quem fez o pré-cadastro agora deverá fazer a confirmação. Quem não fez terá a oportunidade de fazer pelo site do banco ou pelo aplicativo.   

Os quatro tipos de chaves PIX que poderão ser usados e cadastrados são:

  • Número de CPF/CNPJ;
  • Endereço de e-mail;
  • Número do telefone celular
  • EVP (Uma sequência alfanumérica de 32 dígitos que, após solicitação do cliente ao seu banco, será enviada pelo Banco Central à instituição, e com ela será possível criar um QR Code

Não é obrigatório cadastrar uma chave para fazer ou receber uma operação pelo PIX. Mas, caso o usuário queira usar o sistema de pagamento instantâneo sem a chave, será preciso digitar todos os dados bancários do destinatário para realizar uma transação, a exemplo do que já acontece atualmente.

Além das chaves de endereçamento, o PIX também trará a experiência do QR Code por meio de dois formatos:

  • Estático: que poderá ser utilizado para transferências ou no comércio quando as informações para pagamentos não mudam, incluindo o valor do pagamento (exemplo: um sorveteiro, em que o preço do picolé é o mesmo sempre) 
  • Dinâmico: que poderá ser utilizado no comércio quando as informações para pagamentos mudam a cada momento (ex: em um supermercado, quando o valor de cada compra é diferente).

Sobre o PIX

Desenvolvido pelo Banco Central, o PIX vai funcionar 24 horas por dia, sete dias por semana. As transações realizadas pela ferramenta serão instantâneas, com menor custo e alta segurança. O novo sistema é uma alternativa aos modelos de pagamento já existentes, como TED/DOC, que possuem um custo em torno ou acima de 10 reais por operação. O PIX será gratuito para pessoa física.

A data de lançamento oficial do PIX está prevista para 16 de novembro de 2020, de acordo com o calendário:

  • 05 de outubro: início do processo de registro das chaves do PIX;
  • 03 de novembro: início da operação restrita do PIX;
  • 16 de novembro: lançamento do PIX para toda a população.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.