FGTS aprova suspensão de pagamento de parcelas de programas habitacionais

Suspensão foi solicitada pelos agentes financeiros e deve representar R$ 3 bilhões em pagamentos congelados no período

O governo federal suspendeu, por até seis meses, o pagamento de parcelas de crédito contratado por meio de programas habitacionais financiados pelo Fundo de Garantia do Tempo de Serviço (FGTS). A decisão foi aprovada pelo conselho curador do fundo em reunião nesta terça-feira, 8.

Poderão ser suspensas parcelas de financiamentos tomados por pessoas físicas com renda de até R$ 4 mil mensais dentro do Minha Casa, Minha Vida, em operações como carta de crédito individual, apoio à produção de habitações e carta de crédito associativo.

A suspensão foi solicitada pelos agentes financeiros e deve representar R$ 3 bilhões em pagamentos congelados no período.

“Não há perda para o FGTS, o pagamento será feito com a devida atualização”, afirmou o secretário-executivo adjunto do Ministério do Desenvolvimento Regional, Daniel Ferreira.

Os pagamentos das parcelas suspensas serão diluídos no restante do prazo dos contratos a partir de janeiro de 2021.

Em maio e junho, o FGTS já havia autorizado a suspensão de pagamentos de financiamentos nos setores de saneamento básico e mobilidade urbana.

Espera! Tem um presente especial para você.

Uma oferta exclusiva válida apenas nesta Black Friday.

Libere o acesso completo agora mesmo com desconto:

exame digital

R$ 15,90/mês

R$ 6,36/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

R$ 40,41/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.