• AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
  • AALR3 R$ 20,20 -0.49
  • AAPL34 R$ 66,78 -0.79
  • ABCB4 R$ 16,69 -3.75
  • ABEV3 R$ 13,98 -1.13
  • AERI3 R$ 3,67 -0.81
  • AESB3 R$ 10,70 0.00
  • AGRO3 R$ 30,74 -0.32
  • ALPA4 R$ 20,46 -1.35
  • ALSO3 R$ 18,92 -0.94
  • ALUP11 R$ 26,83 0.86
  • AMAR3 R$ 2,41 -1.23
  • AMBP3 R$ 29,84 -2.29
  • AMER3 R$ 23,45 1.56
  • AMZO34 R$ 66,86 -0.09
  • ANIM3 R$ 5,36 -2.72
  • ARZZ3 R$ 81,01 -0.23
  • ASAI3 R$ 15,95 3.24
  • AZUL4 R$ 20,93 -1.46
  • B3SA3 R$ 12,13 2.71
  • BBAS3 R$ 37,15 4.06
Abra sua conta no BTG

Rótulos do alemão Egon Müller começam a ser distribuídos no Brasil

Os vinhos com a assinatura do renomado produtor alemão estão entre os melhores do mundo e são bastante disputados no mercado
 (Exame/Germano Lüders)
(Exame/Germano Lüders)
Por Gabriel AguiarPublicado em 23/03/2022 15:00 | Última atualização em 23/03/2022 14:33Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Pode até ser que o consumidor esporádico não conheça o nome de Egon Müller. Mas entendidos sabem bem de quem se trata. Os vinhos com a assinatura do renomado produtor alemão estão entre os melhores do mundo e são bastante disputados no mercado. “Nossa safra de 2003 foi arrematada por 12.000 euros. Mas acredito que nossos clientes já venderam a preços mais altos. É que eu sou uma pessoa modesta”, diz Müller, sempre em tom baixo, descontraído.

O que torna as garrafas da vinícola Scharzhofberger tão valorizadas? São vinhos de uva riesling, produzidos na região do Mosel, ao noroeste da Alemanha, bem próximo a Luxemburgo e à França. Três rótulos do produtor receberam nota 100 na valorizada escala de Robert Parker. Para os especialistas — além do próprio Egon Müller —, o segredo está no equilíbrio entre açúcares e acidez, o que também se reflete no nível de álcool não tão elevado e no frescor. “Seus vinhos representam o que há de melhor na Alemanha”, afirma Rodrigo Malizia, CEO da Cellar Vinhos, que será representante do produtor no Brasil.

Mais que reputação, a produção também tem muita história: a propriedade pertence à família há mais de 220 anos e foi comprada em 1797, durante a Revolução Francesa, quando o novo regime vendeu as terras que pertenciam à Igreja, e as fronteiras entre França e Alemanha eram mais difusas. O vinhedo, considerado um dos melhores da Europa, surgiu muito antes disso, já que as plantações vêm desde a Idade Média, com os romanos.

“Poucos brasileiros se aprofundaram nos vinhos alemães. Só que quem gosta é apaixonado. Parte do nosso trabalho será desenvolver esse mercado, atraindo quem já conhece, mas também uma parte do público que não teve essa experiên­cia. Por isso é tão importante trazer o melhor de todos, já que Egon Müller­ é considerado uma referência em todo o mundo”, diz Malizia.

Sete vinhos da produção da Scharzhofberger serão vendidos no mercado brasileiro — há outras três linhas, mais restritas, que são oferecidas apenas nos leilões internacionais. De acordo com o representante da vinícola, as primeiras garrafas devem chegar pouco depois da metade do ano, mas a estratégia de preços e o volume já serão definidos nas próximas semanas. A boa notícia: a opção mais em conta deve ficar bem abaixo dos rótulos recordistas, entre 300 e 400 reais.  


(Publicidade/Divulgação)