De Flamengo a Bach e Chopin: as grandes paixões de Claudio Pracownik

Fã de música clássica, Claudio Pracownik, CEO da Win the Game, compôs até um minueto e uma marcha fúnebre
Claudio Pracownik: cores do Flamengo em seu piano Fritz Dobbert (Leandro Fonseca/Exame)
Claudio Pracownik: cores do Flamengo em seu piano Fritz Dobbert (Leandro Fonseca/Exame)
J
Julia StorchPublicado em 13/10/2022 às 06:00.

O barulho da torcida comemorando um gol no estádio e o refinado som de uma música clássica provocam sensações semelhantes em Claudio Pracownik. No universo esportivo, Pracownik foi vice-presidente do Flamengo e hoje comanda a empresa de esportes e entretenimento Win the Game.

Assim como o futebol, a música tem um lugar de importância na vida do executivo. As cores vermelha e preta da camisa do seu clube do coração estão também em seu instrumento preferido, o piano. Em casa, possui um modelo da Fritz Dobbert alocado no quarto de hóspedes. O gosto pela música é herança familiar. Tanto a mãe quanto o pai tocavam piano.

“Desde pequeno escuto música clássica, meu pai também tocava acordeão e cantava em coral. Então a música começou a fazer parte da minha vida de forma muito natural”, lembra. Aos 7 anos, Pracownik foi matriculado em uma escola de música para aprender a tocar o instrumento. “O piano me deu muita disciplina ao trabalhar com metrônomo [instrumento para medir o compasso das composições]”, conta.

Nos recitais o executivo costumava tocar obras de Bach, Chopin e... Claudio Pracownik. “O que era ótimo, porque ninguém podia criticar minhas músicas. Como ninguém as conhecia, não dava para saber se eu havia errado”, brinca, sobre o minueto e a marcha fúnebre que criou. “Gosto dos temas que envolvem a vida e a morte, filosoficamente e espiritualmente.”

A carreira na música seguiu até os 17 anos, quando decidiu interromper as aulas com professores no conservatório do Rio de Janeiro para iniciar os estudos de Direito. Mas a música nunca deixou de fazer parte de seu dia a dia. Atualmente, os sons que saem de seu piano diferem da música que tocava quando jovem.

“Para você ter o prazer de tocar uma música clássica é preciso chatear os vizinhos e a família por muitas horas, tocando repetidamente com metrônomo e relendo a partitura”, explica. A solução encontrada foi executar músicas populares no piano, “e assim dar um pouco mais de alegria para a vizinhança”.

Conheça a newsletter da EXAME Casual, uma seleção de conteúdos pra você aproveitar seu tempo livre com qualidade.

A família também participa dos momentos musicais

Ao lado da esposa e das filhas ele criou a banda apelidada de Shuffle, em referência às diferentes músicas tocadas no karaokê no jardim de casa. Os hits variam dos cantores pop britânicos Dua Lipa e Ed Sheeran ao rock de Pink Floyd. “Faz parte da educação musical ouvir todos os gêneros. Minhas filhas passaram a gostar de Billy Joel e cantar Piano Man comigo”, comenta.

O karaokê também já foi um ganha-pão do CEO. Durante a juventude, Pracownik frequentava o Canja Karaokê, no Rio de Janeiro. Certa noite, o MC que convidava as pessoas ao palco e as acompanhava nas canções saiu para jantar, e Pracownik assumiu o posto, tornando-se o substituto oficial da casa. Entre suas canções preferidas estão as de Roberto Carlos.

Para o executivo, são tantas emoções trazidas pelas composições. “A música não deixa você ficar sozinho. Seja na tristeza, seja na alegria, quando se está ouvindo uma música é um momento em que você está acompanhado. A música me faz chorar, é uma companheira.”

Conquiste um dos maiores salários no Brasil e alavanque sua carreira com um dos MBAs Executivos da EXAME Academy.

Para Pracownik, cada momento de sua vida é marcado por uma trilha sonora. Durante a adolescência, Beatles e Bach embalavam seus dias e noites. Já na formatura, escolheu o hino do Flamengo para subir ao palco. “O meu segundo casamento é marcado por Demônio Colorido, de Sandra de Sá. Cantei essa canção na festa”, lembra. “Eu pauto a minha vida pela música. Eu sei que música ouvir em cada fase da vida, e cada momento é relacionado a uma canção.”

No horário comercial, a atenção de Pracownik está nos esportes. A Win the Game, uma joint venture entre o BTG Pactual (do mesmo grupo de controle da EXAME) e a Fix Delivery Partners, faz a ponte entre o capital privado e o esporte.

A empresa trabalha com futebol, claro, mas também com outros esportes, como futebol de salão, vôlei, basquete, golfe e até e-sports. Com clientes como Guarani, Fortaleza e Sport, a Win the Game atua em áreas como consultoria, reestruturação de dívidas e reorganização financeira. “O futebol faz parte de um negócio enorme que é a economia da atenção. Quando me perguntavam qual era o maior concorrente do Flamengo, eu dizia que era a Netflix, pois as pessoas querem um conteúdo de qualidade, e o esporte precisa disso.”


Cinco toques para a iniciação na música

→ Toque para você: “Divirta-se. A música é feita para acionar nossos mitos internos e deles se beneficiar”
→ Tenha disciplina:  “Como para alcançar qualquer objetivo, é preciso persistência e disciplina”
→ Treine o ritmo: “O ritmo, na vida como na música, é fundamental. Pratique ouvindo sua playlist ou um evento musical”
→ Ouça todo tipo de música: “Não tenha preconceito. Em todo tipo de música existe algo que poderá ajudar você em um improviso ou em uma composição”
→ Improvise: “Variações sobre um mesmo tema são uma forma de mostrar ao mundo sua própria visão”