Grupo Vamos prova que ter nem sempre é melhor que alugar, e dobra base de clientes

O Grupo Vamos cresceu desafiando um senso comum: o de que ter é melhor do que alugar
Gustavo Couto, CEO do Vamos: IPO e diversificação (Leandro Fonseca/Exame)
Gustavo Couto, CEO do Vamos: IPO e diversificação (Leandro Fonseca/Exame)
M
Marina FilippePublicado em 13/09/2022 às 06:00.

O Grupo Vamos, empresa de compra, venda, troca e aluguel de caminhões, máquinas agrícolas e linha amarela, tem motivos para comemorar. Mesmo com desafios como inflação e escassez de insumos automotivos, a companhia controlada pela holding Simpar registrou cerca de 402 milhões de reais em lucro líquido, 124,6% mais do que em 2020. Para Gustavo Couto, CEO do Grupo Vamos, o resultado veio pela superação de um desafio cultural: a ideia de que é melhor ter o bem do que alugá-lo.

“Temos mudado essa mentalidade ao mostrar que há uma economia de 32% em cinco anos. Quando os clientes entendem as vantagens, fecham o contrato e geram recorrência”, afirma. A base de clientes da empresa aumentou em 100% no ano passado.

Parte do crescimento se deve também ao IPO, realizado em janeiro de 2021. “Tivemos a entrada de um recurso importante para acelerar o crescimento”, diz. As ações do Vamos valorizaram cerca de 75% da estreia da empresa na bolsa de valores até o fim de agosto de 2022. A companhia espera triplicar o tamanho da frota até 2025, ao atingir 100.000 ativos.

“O negócio vai crescer independentemente da macroeconomia, já que as soluções melhoram os custos e a gestão das empresas em todos os cenários”, diz Couto. A diversificação também é importante no resultado. Hoje, 25% da frota é de máquinas agrícolas, linha amarela e empilhadeiras. Os outros 75% são caminhões e implementos rodoviários.

AS MELHORES DO SETOR

Pontuação
da Empresa
Posição
por Receita
Empresa Receita 2021(1) Receita 2020(1) Lucro Líq. 2021(1) Patrim. Líq. 2021(1) Ativo Total 2021(1) Cidade-Sede Estado
1  7,34  214 Grupo Vamos  2.823.495   1.513.187   402.375   2.640.186   10.185.525  São Paulo SP
2  6,96  142 Movida  5.332.623   4.085.259   819.439   3.284.472   21.715.853  São Paulo SP
3  6,92  326 Santos Brasil  1.534.229   929.563   271.732   2.187.228   4.752.317  São Paulo SP
4  6,54  85 Localiza  8.769.380   8.085.867   2.043.677   7.617.090   21.453.404  Belo Horizonte MG
5  6,44  55 Simpar  13.866.219   9.807.057   1.328.950   5.824.260   47.968.194  São Paulo SP
6  6,44  165 JSL  4.296.000   2.826.797   272.600   1.330.000   7.122.000  São Paulo SP
7  6,43  84 Azul Linhas Aéreas  8.811.044   5.039.607  -4.213.208  -18.333.003   18.533.473  Barueri SP
8  6,32  436 Portonave  851.117   570.931   277.105   496.738   2.478.207  Navegantes SC
9  6,27  547 Porto Itapoá  490.255   361.444   127.013   486.977   1.756.310  Itapoá SC
10  6,27  582 Multilog Brasil  409.296   294.700   63.066   147.925   326.099  Barueri  SP

(1) Valores em milhares de reais. Para a colocação das empresas foram considerados: resultados contábeis-financeiros (ROE – Retorno Sobre o Patrimônio Líquido, Roce – Retorno Sobre o Capital Empregado, ILS – Índice de Liquidez Seca, D/E – Alavancagem); crescimento de 2020 e 2021; ESG (sete indicadores ambientais, sete indicadores sociais e sete indicadores de governança).
Mais detalhes podem ser conferidos no site
mm.exame.com


(Publicidade/Exame)