Revista Exame
Acompanhe:

Castelos e trilhas da Espanha: conheça os melhores destinos turísticos do país

Com fortes medievais, rotas de caminhadas e ótima gastronomia, a região de Aragão, na Espanha, é um destino perfeito de slow travel

Parque Nacional de Valle de Ordesa: picos de 3.000 metros de altitude e trilhas para mountain bike (Manuel Francos Garcia/Divulgação)

Parque Nacional de Valle de Ordesa: picos de 3.000 metros de altitude e trilhas para mountain bike (Manuel Francos Garcia/Divulgação)

I
Ivan Padilla

26 de janeiro de 2023, 12h34

Ibiza, Marbella, Cádiz, Sevilha, Madri, Barcelona... É fácil lembrar dos roteiros mais tradicionais da Espanha, o segundo país mais visitado do mundo, com 31,2 milhões de turistas estrangeiros em 2022, segundo a Organização Mundial do Turismo.

Mas o país ibérico oferece muitas outras atrações, para além das vibrantes capitais ou das praias lotadas de ingleses e alemães, com diversidade em paisagens, gastronomia e até idiomas. A comunidade de Aragão, na região nordeste, é um desses lugares pouco explorados. Castelos e povoados medievais muito bem preservados e trilhas para trekking em meio a desfiladeiros impressionantes fazem da região um destino perfeito para slow travel.

A primeira dica aqui é esta: viaje sem pressa por lá

O ponto de partida pode ser a capital da comunidade, Zaragoza, a três horas e meia de carro de Madri. A cidade abriga fábricas automotivas, como Opel e Citroën, e é um polo logístico, com centros da Amazon e da Inditex, que controla a Zara.

O que interessa aqui, porém, são os monumentos antigos, como a Basílica del Pilar, o maior templo barroco da Espanha, no local onde Maria, mãe de Jesus, teria aparecido ao apóstolo Santiago. Sim, capelas, igrejas e catedrais não faltam na católica Espanha.

Na abóboda dessa catedral estão afrescos encomendados a Francisco de Goya no século 18. Uma curiosidade: no alto do teto pode-se ver um rombo. Por lá caíram duas bombas durante a Guerra Civil Espanhola, entre 1936 e 1939. Nenhuma delas explodiu, e hoje os artefatos estão expostos no interior da igreja, pendurados em uma das enormes paredes.

Conquiste um dos maiores salários no Brasil e alavanque sua carreira com um dos MBAs Executivos da EXAME Academy.

O local é ponto de encontro de diferentes eras. Quase em frente à catedral, na charmosa Praça do Pilar, estão vestígios de muralhas romanas do século 3. A essa altura do passeio, não importa o horário, você certamente estará com fome. Sempre é hora de comer na Espanha. Logo ali perto, o restaurante Origen 1952 serve um solomillo de ternera, como se chama o lombo de vitela, acompanhado de batatas assadas, de comer de joelhos, a 26 euros.

De Zaragoza uma opção é pegar a estrada até a pequena cidade de Huesca, mais exatamente em seus arredores. Por lá já é possível avistar as principais atrações da região: as montanhas do começo dos Pirineus e belos castelos e mosteiros no alto das colinas. Até lá chegaram os mouros durante a invasão da Península Ibérica que durou oito séculos, de 711 até sua expulsão, em 1492.

As fortificações foram levantadas nos pontos mais elevados como ponto de partida para as sangrentas batalhas da retomada cristã. “Aquela foi uma época longa, apaixonante e cruel”, escreveu o jornalista Arturo Pérez-Reverte em artigo para o suplemento literário XL Semanal, “da qual, se fôssemos gringos, teríamos maravilhosos filmes dirigidos por John Ford.”

Justiça seja feita, o enfrentamento aos árabes rendeu o belíssimo longa El Cid, com Charlton Heston e Sophia Loren, de 1961. Outro filme, Cruzada, do diretor britânico Ridley Scott com Orlando Bloom, foi filmado ali perto de Huesca, no Castelo de Loarre,­ construído no século 11.

Essa construção fortificada permite uma visão privilegiada sobre as planícies ocupadas no passado pelos mouros. O preço da entrada para essa volta ao passado é 3 euros e permite percorrer esse que é considerado o castelo em estilo românico mais bem conservado da Europa, com um arco formado por 11 torres e uma bela igreja no interior. Esqueça por alguns momentos a vontade de comer umas tapas e tomar uma copa em uma ­terraza e aproveite o passeio mágico.

A arte mudéjar

A ocupação moura deixou um legado bastante particular na Península Ibérica: a arte mudéjar. Trata-se de construções com elementos artísticos cristãos, como o românico e o gótico, com a arte islâmica.

Os árabes eram ótimos mestres de obra e usavam muito bem o tijolo, que se sobrepõe aos silhares das construções cristãs, aqueles grandes blocos de pedra. Tudo isso com rebuscados elementos decorativos muçulmanos.

Quer um bom exemplo? Em Teruel, cidade a duas horas e meia de Huesca, fica a Catedral de Santa Maria de Mediavilla. Se bater a fome, procure o restaurante El Mercao e peça uma entrada típica, como huevos rotos com jamón, e um dos pratos de carne, como o magret de pato na brasa, que serve a contento duas pessoas. Com um bom vinho da casa, a ótima refeição sai em torno de 30 euros por cabeça.

(Arte/Exame)

Entre essas três capitais que formam a região de Aragão (Huesca, Teruel e Zaragoza) há diversos povoados que valem muito a visita. Muitos contam com poucas centenas de habitantes e estão na lista dos povoados mais bonitos da Espanha, uma associação criada em 2011 para promover o patrimônio cultural do país. Roda de Isábena pode se orgulhar de um estranho feito: trata-se do menor vilarejo espanhol a ter uma catedral, do século 11, com túmulos dos senhores feudais. Hoje vivem lá exatas 46 pessoas. Construída no alto de um penhasco, conta com um simpático café na entrada, dois charmosos hotéis e muita natureza no entorno para caminhadas sem pressa.

Ali perto, Alquézar é outro povoado medieval de ruas estreitas, um antigo forte militar que teve as charmosas casas de ladrilhos avermelhados restauradas nos anos 1980. O nome significa “fortaleza” , na tradução do árabe, e logo se entende o porquê. Como tantos povoados na região, foi construído como ponto de defesa contra os árabes. Pode-se dar um passeio pelas vielas ou mesmo fazer uma caminhada de 5 quilômetros pelas Pasarelas del Vero, uma série de passarelas incrustadas na rocha pelo cânion do Rio Vero. Bom para apreciar a vista e abrir o apetite. Parta para o Casa Pardina, afamado restaurante local de gastronomia fusion. Uma refeição com vinho custa lá 40 euros.

Castelo de Loarre: fortificação em estilo românico mais bem conservada da Europa (Javier Romeo/Divulgação)

Já um pouco maior, com 1.200 habitantes, Ainsa é outro povoado medieval na região, com entrada fortificada, muralhas e castelos. A Plaza Mayor, com construções originais bem preservadas em estilo românico, hoje abriga bons restaurantes, onde pode-se comer pratos típicos da região, como ternasco, um corte de cordeiro com batatas.

Jaca é outra cidade relativamente grande para os padrões diminutos de lá. Em algumas paredes pode-se ver placas com desenhos de conchas, uma indicação de que por lá passa a trilha aragonês do Caminho de Santiago de Compostela. A atração principal lá é a Cidadela, um forte militar cercado por fossos do século 16. Jaca é famosa por outro motivo também: lá nasceu Georgina Rodríguez, mulher do jogador Cristiano Ronaldo. Uma parte da série Eu, Georgina, da Netflix, foi filmada na cidade.

Outras atrações em Aragão convidam o turista a se desconectar da rotina. A vinícola Sommos é uma das cerca de 30 produtoras abertas à visitação que ficam no Somontano, uma denominação de origem protegida. De arquitetura futurista, oferece uma degustação de suas principais variedades, como merlot e syrah, a 30 euros.

O Parque Nacional de Valle de Ordesa, com picos de 3.000 metros de altitude, oferece vistas deslumbrantes formadas por vales e paredões, com lindíssimas trilhas para caminhar ou percorrer de mountain bike. Lá perto fica a Tirolina Ordesa Pirineo. Com 2.000 metros de extensão e um desnível de 400 metros, é considerada a tirolesa mais rápida da Europa, em que o visitante atinge até 160 quilômetros por hora. Do grupo que estava na viagem, fui o único que não se arriscou nela. Preferi esperar meus companheiros na parte de baixo, tomando uma caña, palavra informal em espanhol para uma cerveja. Achei velocidade demais para uma slow travel.

Para quem quiser quiser conhecer com comodidade a região de Aragão, a agência MundoAra Experiences pode ajudar você a montar seu roteiro (@mundo_ara_travel).

LEIA TAMBÉM:

Espanha terá visto para nômades digitais a partir de janeiro

Espanha avança na criação de licença médica menstrual inédita na Europa


(Publicidade/Exame)