Pop

Um sótão que vale R$ 1,1 milhão? Corretor gera polêmica com anúncio de microespaço

Venda de espaço de 27 metros quadrados por mais de 199 mil euros (R$ 1,1 milhão) gera debate sobre direito à moradia digna

Fernando Olivieri
Fernando Olivieri

Redator na Exame

Publicado em 21 de junho de 2024 às 11h12.

Julio Alcalde, CEO da imobiliária Élite Alcalá, está no centro de uma polêmica após anunciar a venda de um sótão de 27 metros quadrados por 199 mil euros, o equivalente a R$ 1,16 milhão. O imóvel, localizado no bairro de Chamberí, em Madrid, na Espanha, é uma das regiões mais caras da capital espanhola, com o metro quadrado avaliado em mais de R$ 29,2 mil.

O sótão, que possui teto inclinado em metade da área, será vendido "completamente equipado" com eletrodomésticos e móveis, e oferece acesso a um terraço compartilhado com outros seis vizinhos. O anúncio, postado no Instagram, gerou indignação entre os internautas, que criticaram o preço elevado e questionaram a conduta do corretor, acusando-o de desconexão da realidade ao anunciar o espaço como adequado para moradia.

Nas redes sociais, usuários expressaram sua revolta, questionando se Alcalde não sente "vergonha" por fazer o anúncio e sugerindo até denunciar a imobiliária. As críticas também atingiram a empresa, Élite Alcalá, que foi alvo de reclamações devido ao valor considerado exorbitante para um espaço tão pequeno.

Agente imobiliário se defende

Alcalde se defendeu das críticas, afirmando ser apenas um intermediário e trabalhador, e destacou que se ele não fizesse o trabalho, outro faria. Ele argumentou que essa é a realidade do mercado imobiliário em que estão inseridos e que isso não é problema dele. Comparou a situação com o preço elevado de produtos de consumo, como azeite.

Durante sua participação no programa televisivo espanhol TEM, Alcalde admitiu que ele mesmo jamais pagaria 199 mil euros (R$ 1,1 milhão) pelo imóvel. Mesmo assim, reafirmou que sua função é apenas intermediar a venda e que o valor é reflexo do mercado imobiliário atual.

O debate gerado pelo anúncio levantou questões importantes sobre o direito à moradia digna e os desafios enfrentados pelo mercado imobiliário em grandes centros urbanos, onde os preços elevados frequentemente excluem a população de baixa renda de áreas centrais e bem localizadas.

Acompanhe tudo sobre:EspanhaMercado imobiliário

Mais de Pop

'House of the Dragon': veja as imagens do episódio 6 da 2ª temporada

'Peaky Blinders': as 10 frases mais icônicas de Thomas Shelby

Bob Newhart, comediante de 'The Big Bang Theory', morre aos 94 anos

Dia Internacional de Nelson Mandela: 7 curiosidades sobre a trajetória do líder sul-africano

Mais na Exame