• AALR3 R$ 20,01 -0.30
  • AAPL34 R$ 70,99 3.76
  • ABCB4 R$ 16,93 1.62
  • ABEV3 R$ 14,23 0.14
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,81 -1.01
  • AGRO3 R$ 31,09 -1.11
  • ALPA4 R$ 22,80 2.84
  • ALSO3 R$ 19,15 1.59
  • ALUP11 R$ 26,48 -0.08
  • AMAR3 R$ 2,52 -2.70
  • AMBP3 R$ 31,84 -1.58
  • AMER3 R$ 21,57 0.33
  • AMZO34 R$ 3,52 4.14
  • ANIM3 R$ 5,51 -0.72
  • ARZZ3 R$ 83,00 2.13
  • ASAI3 R$ 15,78 -1.93
  • AZUL4 R$ 20,92 -0.14
  • B3SA3 R$ 12,68 2.18
  • BBAS3 R$ 37,07 -1.04
  • AALR3 R$ 20,01 -0.30
  • AAPL34 R$ 70,99 3.76
  • ABCB4 R$ 16,93 1.62
  • ABEV3 R$ 14,23 0.14
  • AERI3 R$ 3,76 -0.53
  • AESB3 R$ 10,81 -1.01
  • AGRO3 R$ 31,09 -1.11
  • ALPA4 R$ 22,80 2.84
  • ALSO3 R$ 19,15 1.59
  • ALUP11 R$ 26,48 -0.08
  • AMAR3 R$ 2,52 -2.70
  • AMBP3 R$ 31,84 -1.58
  • AMER3 R$ 21,57 0.33
  • AMZO34 R$ 3,52 4.14
  • ANIM3 R$ 5,51 -0.72
  • ARZZ3 R$ 83,00 2.13
  • ASAI3 R$ 15,78 -1.93
  • AZUL4 R$ 20,92 -0.14
  • B3SA3 R$ 12,68 2.18
  • BBAS3 R$ 37,07 -1.04
Abra sua conta no BTG

Flamengo x Palmeiras: lei seca vira debate antes de final em Montevidéu

Final da Libertadores acontece no mesmo final de semana da eleição -- o que impediria a venda de bebidas. Suspensão da lei seca deve entrar em vigor nesta semana
 (Reuters/Pilar Olivares)
(Reuters/Pilar Olivares)
Por Da RedaçãoPublicado em 18/11/2021 09:08 | Última atualização em 18/11/2021 09:59Tempo de Leitura: 3 min de leitura

Uma final continental entre dois dos maiores times do Brasil com festa limitada pela falta de bebida alcoolica? Esta pode ser a situação de Montevidéu, que recebe a final da Libertadores no sábado 27/11. Com o país pronto para o maior evento esportivo do ano no continente, o governo uruguaio se deu conta de uma coincidência inusitada. E está correndo para evitar desagradar as dezenas de milhares de turistas que desembarcam no país nos próximos dias.

A Câmara dos Deputados do Uruguai aprovou nesta terça-feira, 17, o projeto de lei que visa suspender, apenas desta vez, a lei seca durante a eleição do Banco da Segurança Social (BPS), uma vez que a final da Libertadores, entre Flamengo e Palmeiras, acontece no mesmo final de semana, em Montevidéu.

A proposta, que foi tratada de forma "séria e urgente", foi aprovada no mesmo dia no Senado e deve entrar em vigor ainda nesta semana.

A Lei 7.812, também conhecida como “Lei Eleitoral”, estabelece no artigo 177 que “vinte e quatro horas anteriores ao encerramento da votação, até o término da votação, não será permitida a comercialização de bebidas alcoólicas”. Isso faria com que a venda de bebidas fosse proibida logo após a partida, prevista para as 17h. A coincidência já estava fazendo com que alguns estabelecimentos se organizassem para "dar" a bebida de brinde na compra de um prato. Mas o jeitinho pode não ser necessário.

  • Assine a EXAME e acesse as notícias mais importantes em tempo real.

Ao projeto original que contava com um único artigo, foi feita uma modificação por recomendação dos senadores da oposição, de manter a proibição da venda de bebidas alcoólicas em locais de votação que possuam cantinas. As eleições para o Banco de Previsión Social (BPS), equivalente ao INSS uruguaio, ocorrem no dia 28 de novembro, no dia seguinte à final.

flamengolibertadores1

Capacidade máxima no estádio

O governo uruguaio autorizou nesta semana que o Estádio Centenário receba 100% da capacidade prevista para a final da Libertadores. Com isso, sobe para 60 mil o número de torcedores que vão poder assistir o jogo entre Flamengo e Palmeiras em Montevidéu. A decisão se estende às decisões da Sul-Americana, entre Athletico e Bragantino, neste sábado, e da Libertadores feminina, no domingo.

Como a previsão anterior era de 75% das arquibancadas disponíveis, a expectativa é que a Conmebol libere, nos próximos dias, uma nova carga de ingressos para rubro-negros e alviverdes, ampliando o número de entradas destinadas a cada clube de 9.375 para 11.700 – a entidade não dispõe todos os bilhetes para venda.

Para comparecer ao jogo, será necessário apresentar o comprovante de vacinação integral, com distância de, no mínimo, 14 dias da segunda dose.

Palmeiras volta a campo pela Libertadores