Assassino procurado reclama de batata frita em McDonald’s e é preso nos EUA; entenda

Segundo o portal Daily Mail, preso era procurado por um crime cometido em 2018
"Não, tenho medo de todos vocês, acabei de cumprir três anos de pena", disse Sims. (Internet/Reprodução)
"Não, tenho medo de todos vocês, acabei de cumprir três anos de pena", disse Sims. (Internet/Reprodução)
A
Antonio Souza

Publicado em 17/08/2022 às 17:52.

Última atualização em 17/08/2022 às 19:21.

Um assassino foragido foi encontrado pela polícia, após uma confusão que ele mesmo criou em um McDonald's. Antoine Sims, de 24 anos, chamou a polícia para o restaurante, pois o local se recusava a refazer as batatas fritas do seu lanche, que, segundo ele, estavam murchas.

De acordo com o portal Daily Mail, Antoine Sims não se assustou com a chegada dos policiais no McDonald's. Quando perguntado por que ligou para o 911, o jovem respondeu que estava com algum problema no servidor e não recebeu a nota com o número do seu pedido.

Ele afirma que, após longo período de espera, conseguiu pegar a nota com número do pedido, porém seu lanche já estava pronto há algum tempo. O jovem então experimentou as batatas fritas, mas, segundo ele, estavam “mornas, mas não quentes”.

Após o ocorrido, Sims solicitou novas batatas ao gerente que se recusou a fazer, o que gerou uma discussão entre os dois. Sims então alegou que o gerente enfiou a mão na sacola e 'tocou em suas batatas fritas'.

Em depoimento para a polícia, o gerente que não foi identificado, afirmou que Sims ficou violento e o ameaçou se não trouxesse um novo pedido. Sims então foi expulso do McDonalds e no estacionamento foi abordado pelos policiais. 

Eles então o fizeram assinar um termo para não comparecer mais no estabelecimento, gerando uma revolta por parte de Sims: 

"Não, tenho medo de todos vocês, acabei de cumprir três anos de pena", disse Sims.

Após dizer isso, o mesmo saiu correndo dando início a uma perseguição. Ele foi preso quando tentava fugir de um prédio residencial.

Segundo o portal Daily Mail, Sims era procurado por um crime cometido em 2018, onde ele e mais duas pessoas foram acusadas de incendiar um carro com o corpo de uma mulher. Ele aparentemente estava sob fiança e utilizava uma tornozeleira eletrônica.

Veja também:

Menino é mordido por tubarão e perde parte da perna nos EUA

"Você quer me calar?": candidata ao governo do Piauí rebate apresentador e viraliza