Vendas para Páscoa caem 33% em 2020, segundo Boa Vista

Antes do covid-19, a expectativa do setor era de crescimento de vendas, acompanhando a recuperação que estava em curso no varejo
Ovos de Páscoa: para minimizar efeitos negativos do coronavírus, produtos de Páscoa ficarão nos pontos de venda até 30 de abril (Cris Faga/NurPhoto/Getty Images)
Ovos de Páscoa: para minimizar efeitos negativos do coronavírus, produtos de Páscoa ficarão nos pontos de venda até 30 de abril (Cris Faga/NurPhoto/Getty Images)
D
Da RedaçãoPublicado em 13/04/2020 às 19:37.

A crise causada pelo novo coronavírus impactou as vendas do comércio para a Páscoa. A empresa de análise de crédito Boa Vista informa que as vendas recuaram 33% em 2020, enquanto, em 2019, haviam crescido 1,5%.

O cálculo do número de vendas para a data foi baseado em uma amostra das consultas feitas no banco nacional de dados da Boa Vista, o Serviço Central de Proteção ao Crédito. A empresa considerou as consultas feitas entre 8 e 12 de abril de 2020 em comparação com as feitas entre 17 e 21 de abril de 2019.

A queda de 33% está alinhada com o resultado de uma pesquisa diferente realizada pela Dotz, empresa de programa de pontos de fidelidade. Segundo a companhia, houve uma queda de 29% nas vendas dos ovos de Páscoa. Já a categoria de bomboniere, que que engloba as caixas de bombom e barras de chocolate, uma alternativa comum de presente na data, observou-se queda de 56% nas vendas.

O estudo Insights Dotz do Varejo analisou de 30 de março a 8 de abril de 2020 em comparação a 7 a 17 de abril de 2019. A empresa acompanhou a evolução dos hábitos de cerca de 2,3 milhões de consumidores em compras realizadas nas 16 redes de supermercados parceiras da Dotz em diferentes regiões do Brasil.

Antes do covid-19, a expectativa do setor era de crescimento de vendas, acompanhando a recuperação que estava em curso no varejo desde o ano anterior. A Páscoa foi a primeira data comemorativa que sentiu os efeitos da crise. Agora, o varejo se preocupa com o desempenho das vendas para o Dia das Mães, comemorado no dia 10 de maio.

Páscoa até o final de abril

Para tentar minimizar os efeitos negativos sobre as vendas da Páscoa, nesta segunda-feira 13, a Associação Brasileira da Indústria de Chocolates, Amendoim e Balas (Abicab) e o setor supermercadista, representado pela Associação Brasileira de Supermercados (Abras), anunciaram um acordo para ampliar a permanência dos produtos de Páscoa nos pontos de venda de todo o Brasil.

Com a segunda etapa da campanha #VaiterPáscoa, as associações vão comunicar aos consumidores sobre o novo prazo estendido até o dia 30 de abril. De acordo com nota da Abras, “a indústria e os canais de venda vão garantir a permanência dos produtos por maior período para que os consumidores que não conseguiram acessar os itens até o feriado possam fazê-lo com tranquilidade e de forma segura”.