Unicórnio: Nowports, de logística, capta US$ 150 mi com SoftBank

Startup mexicana de logística de cargas alcança o status bilionário após rodada série C, e passa valer US$ 1,1 bilhão
Nowports: startup de logística do México capta US$ 150 milhões (shaunl/Getty Images)
Nowports: startup de logística do México capta US$ 150 milhões (shaunl/Getty Images)
Por Maria Clara DiasPublicado em 24/05/2022 13:18 | Última atualização em 24/05/2022 16:29Tempo de Leitura: 3 min de leitura

No Brasil desde outubro de 2021, a mexicana Nowports, de logística digital de cargas, acaba de dar mais um passo em sua jornada de crescimento. A empresa anunciou uma captação de 150 milhões de dólares (algo em torno de 700 milhões de reais) em uma série C liderada pelo SoftBank. Com isso, a empresa alcançou o status de unicórnio, com um valor de mercado que supera 1 bilhão de dólares.

No México, ao lado da Nowports, outras empresas ocupam a lista de unicórnios. Entre elas a Kavak, de compra e venda de veículos, e a Clara, fintech de cartões corporativos. A Nowports, no entanto, é a primeira logitech, startup dedicada à logística, a alcançar o feito em seu país de origem.

Além do SoftBank, também participaram da rodada atual os fundos Tiger Global, Foundation Capital, Monashees, Soma Capital, Broadhaven Ventures, Mouro Capital, Tencent e Base10 Partners. A série C também contou com os investidores Daniel Voguel, da Bitso; Ricardo Amper, da Incode; Alex Bouaziz, da Deel e Roger Laughlin, da Kavak.

Logística digital

A Nowports foi fundada em 2018 por Maximiliano Casal e Alfonso de los Ríos, um mexicano e um uruguaio que se conheceram durante um período de estudos na Universidade de Stanford. De maneira abreviada, a proposta da startup fundada pelos latinos é digitalizar toda a cadeia logística para grandes empresas e indústrias que importam ou exportam produtos na América Latina, pelos mares ou pelo ar.

Para isso, a Nowports criou uma plataforma e gerenciamento dotada de inteligência artificial que personaliza e leva para o online algumas soluções como rotas, controle de tarifas e rastreamento de cargas. Além disso, a startup também oferece o acesso imediato — e digital — a documentos e relatórios para que o importador ou exportador tenha visibilidade da operação em tempo real.

É uma proposta que atrai, em especial, o mercado brasileiro. Dois meses depois de fincar os pés no país, a empresa recebeu uma nova injeção de ânimo para expandir por aqui: um cheque de 60 milhões de dólares para aumentar o time local de funcionários, para mais de 250 neste ano. Hoje, já são 50 pessoas.

Depois do Chile, Colômbia, Peru (e é claro, o próprio México), o Brasil se provou o principal mercado para a Nowports na América Latina. “Nossa atuação brasileira está crescendo. Estive por seis meses em São Paulo para criar essa operação do zero”, disse Alfonso de los Ríos, CEO da Nowports, em coletiva de imprensa nesta terça-feira. “O Brasil é nosso principal mercado logístico na região, e vai concentrar nossos esforços”.

Agora, o plano da Nowports é ir além de São Paulo. O primeiro alvo, segundo o empreendedor, é a cidade de Itajaí, em Santa Catarina.

O otimismo com a região se explica, em boa medida, pelo crescimento acelerado de algumas indústrias durante a pandemia. É o caso do varejo, que teve de driblar desafios estruturantes para dar conta de um grande volume de entregas, e ainda assim cumprí-las em tempo.

“A América Latina é uma grande oportunidade para o setor logístico. Vamos empoderar os exportadores e ajudá-los a crescer de forma transparente e inteligente. É algo que ajuda a economia como um todo. Basta olhar como setores como manufatura e varejo podem se beneficiar disso”, diz.

Segundo los Ríos, o novo investimento será usado para expandir, além dos produtos de logística, também produtos financeiros que estão no planejamento da startups há um tempo. A Nowports está desenvolvendo ferramentas de financiamento e seguro de cargas.