Unicórnio dos hábitos saudáveis, startup chilena Betterfly anuncia aquisição e chega à Europa

A startup concluiu a compra da espanhola Flexoh, de benefícios flexíveis, o que formaliza a entrada oficial da empresa no mercado europeu
Cristóbal e Eduardo della Maggiora, fundadores da Betterfly: nova aquisição leva startup à Europa (Betterfly/Divulgação)
Cristóbal e Eduardo della Maggiora, fundadores da Betterfly: nova aquisição leva startup à Europa (Betterfly/Divulgação)
M
Maria Clara Dias

Publicado em 11/07/2022 às 17:35.

Última atualização em 11/07/2022 às 18:17.

A startup chilena Betterfly, de seguros, quer levar mundo afora a ideia de recompensar pessoas por seus bons hábitos. Nesta segunda-feira, 11, a startup anunciou a compra da espanhola Flexoh, de remuneração flexível para empresas, e a entrada oficial da empresa no mercado europeu.

A startup tem ganhado espaço no mercado ao incentivar hábitos saudáveis entre segurados. Em troca de maiores coberturas em suas apólices ou para obter créditos que podem ser revertidos em doações para causas sociais e ambientais, usuários são recompensados ao adotarem práticas mais "zen" como meditação, ioga, outros esportes ou uma alimentação mais balançeada.

Assine a EMPREENDA, a nova newsletter semanal da EXAME para quem faz acontecer nas empresas brasileiras

No modelo de negócios da Betterfly, os clientes são as empresas, enquanto os usuários recompensados são os colaboradores diretos das companhias. A proposta já rendeu à startup o título de unicórnio, ou seja, um valor de mercado que supera US$ 1 bilhão. O status veio após uma rodada de investimento série C no início deste ano e que coroou a Betterfly como a primeira empresa com o foco social a atingir o feito na América Latina.

LEIA TAMBÉM: Startup de carros usados Kavak faz aposta global de US$ 180 mi

Com a Flexoh, a Betterfly dá início a seu plano de aquisições para colocar os pés de vez na Europa. Em outra frente, estende seus campos de atuação, agora também dedicados à remuneração de funcionários e benefícios flexíveis — um plano já antecipado pela companhia em sua última captação.

"Entrar na Europa é um grande desafio, mas encontramos na Flexoh a equipe perfeita para a expansão fora da América Latina”, diz Eduardo della Maggiora, fundador e CEO da Betterfly.

A internacionalização da Betterfly começou pelo Brasil, primeiro mercado da empresa depois do Chile. Atualmente, a operação brasileira da Betterfly tem cerca de 100 funcionários e atende 50 empresas clientes.

O próximo alvo, segundo a empresa, é o mercado americano — a empresa pretende chegar aos Estados Unidos em 2023. Até 2025, a proposta é impactar cerca de 100 milhões de pessoas em todos os mercados onde a Betterly está.