Negócios

Por que o moral dos funcionários da HP está em baixa

Funcionários da HP de Houston serão transferidos para outra companhia, com salários bem mais baixos e menos benefícios


	HP: funcionários de Houston serão transferidos para outra companhia, com salários bem mais baixos e menos benefícios
 (Simon Dawson/Bloomberg)

HP: funcionários de Houston serão transferidos para outra companhia, com salários bem mais baixos e menos benefícios (Simon Dawson/Bloomberg)

Karin Salomão

Karin Salomão

Publicado em 2 de setembro de 2015 às 23h10.

São Paulo -- Depois de anunciar o corte de milhares de vagas no mundo todo, a HP está fazendo uma oferta irrecusável para alguns de seus funcionários: transferência para outra empresa, Ciber, que é parceira da HP.

É o que diz uma reportagem do Business Insider. A Ciber é uma consultoria de tecnologia da informação e que revende produtos HP. Dessa forma, os funcionários continuariam a trabalhar com produtos e clientes HP.

O problema é que, segundo a reportagem, os salários na nova companhia são bem mais baixos, às vezes cortados pela metade, há menos benefícios para os funcionários e, com a transferência, eles perderiam suas horas extras e férias acumuladas.

Se não aceitassem a oferta de mudança, os funcionários seriam demitidos com pagamento de apenas duas semanas de trabalho. Também não receberiam qualquer outra indenizaçãode acordo com o veículo. Eles têm apenas 48 horas para decidir se aceitam a proposta ou não.

A ação atinge principalmente funcionários que trabalham em Houston, nos Estados Unidos. O Brasil não será afetado por essas movimentações, afirmou a empresa por meio de sua assessoria de imprensa.

“Fui forçado a tirar minhas férias nas próximas semanas e me negaram qualquer indenização, exceto duas semanas de salário”, em caso de demissão, escreveu um funcionário ao veículo americano.

Em comunicado, a empresa informa “que firmou acordo com uma parceiro estratégico de mão-de-obra norte-americano em busca de maior flexibilidade em iniciativas que demandem alocação de profissionais para projetos específicos”.

“Apenas um pequeno número de profissionais nos Estados Unidos estão deixando a HP para se tornar terceiros na organização serviços por meio desse parceiro”, diz a HP.

Reestruturação

A companhia irá demitir 55.000 funcionários em todo o mundo, como parte de uma reestruturação da companhia que começou em 2012. 

Ela planeja se dividir em duas empresas. A cisão irá separar seu negócio de computadores pessoais e impressoras da divisão de hardware corporativo e de serviços.

Na semana passada, a diretora de operações financeiras Cathie Lesjak anunciou um novo corte, de 5% do total de vagas.

Acompanhe tudo sobre:DemissõesDesempregoEmpresasEmpresas americanasempresas-de-tecnologiagestao-de-negociosHPReestruturaçãoServiços

Mais de Negócios

Marca de infusões orgânicas cresce com aumento do consumo de chás no Brasil e fatura R$ 6 milhões

Descubra 4 formas de pedir empréstimo e quais são as vantagens e desvantagens de cada uma

Apoio Financeiro no RS: prazo para adesão ao termina nesta sexta-feira; saiba como se inscrever

Com nova fábrica, Gelato Borelli vai triplicar produção e planeja faturar R$ 360 milhões em 2024

Mais na Exame