Por dentro do escritório da Qualcomm, em São Paulo

Lá, tudo é móvel: mesas e cadeiras têm rodinhas e as paredes das salas de reunião se abrem para integrar os ambientes

São Paulo – Mobilidade é palavra de ordem no escritório da gigante de tecnologia Qualcomm, no Brooklin, em São Paulo. Lá, todas as mesas e cadeiras têm rodinhas e as paredes das salas de reunião se abrem, transformando três ambientes em um só em minutos. 

Na sede, é possível notar que hierarquia não é o forte da empresa. Até mesmo as salas da diretoria e da presidência são transparentes e as portas estão sempre abertas. 

Outro ponto que chama a atenção é o cuidado com os funcionários. Frutas, cafés, e cereais são oferecidos todos os dias para o pessoal, sem custo.

Além disso, uma área especial com armários e chuveiros foi instalada para estimular o uso da bicicleta como meio de transporte até o trabalho. "Somos uma empresa que desenvolve tecnologia e terceiriza a produção de processadores, não temos fábrica. Quem faz a Qualcomm são as pessoas e elas têm que ser valorizadas", ressalta Jaqueline Lee diretora de marketing da empresa. 

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.