Moussalli, da Oracle: "As PMEs do Brasil são um oceano azul para nós"

De olho em startups e desafios tributários encarados por PMEs brasileiras, companhia de software trará metologia própria de gestão para o Brasil; líder da divisão na América Latina detalha estratégias
Gustavo Moussalli, líder da Oracle NetSuite no Brasil e América Latina (Oracle/Divulgação)
Gustavo Moussalli, líder da Oracle NetSuite no Brasil e América Latina (Oracle/Divulgação)
M
Maria Clara Dias

Publicado em 29/09/2022 às 18:44.

Última atualização em 29/09/2022 às 18:46.

*De Las Vegas (Estados Unidos)

O Brasil parece ser o próximo grande alvo da Oracle nos próximos anos. Isso porque a companhia de software para gestão empresarial (ERP) tem concentrado esforços para criar uma estrutura robusta e trazer um modelo de negócios já bem-sucedido em outros mercados mundo afora: o de digitalização de processos operacionais para pequenas e médias empresas.

A empresa faz isso com a ajuda do NetSuite, um braço que se empenha a levar o gerenciamento desses pequenos negócios para a nuvem.

Para atender a um número crescente de empresas de pequeno e médio porte que reconhecem a urgência em delegar para ferramentas digitais a responsabilidade por tocar a parte burocrática da gestão — aqui podemos listar ações como o pagamento de contas e gestão da folha de pagamentos —, a empresa desenvolveu um método específico de implementação para essa tal desburocratização, uma metodologia por lá chamada de SuiteSuccess.

Assine a EMPREENDA e receba, gratuitamente, uma série de conteúdos que vão te ajudar a impulsionar o seu negócio.

O termo basicamente descreve a fórmula de sucesso adotada pela NetSuite para conseguir criar um produto que considera algo tão individual como a customização das necessidades gerenciais de PMEs, mas em larga escala. A saída, nesse caso, foi apostar na curadoria por setores e suas necessidades específicas.

À frente das operações da NetSuite na América Latina (incluindo Brasil) está o brasileiro Gustavo Moussalli, atual vice-presidente das operações. Primeiro funcionário do braço dedicado a PMEs desde a aquisição da companhia pela Oracle em 2017, Moussalli tem sido responsável pela estruturação do produto e da metodologia setorista da Oracle na região desde então. Agora, o executivo lidera uma verdadeira força tarefa para implementar tal metodologia também no Brasil.

“Sem dúvida, o mercado brasileiro tem muitas oportunidades inexploradas”, disse Moussalli em entrevista à EXAME durante o SuiteWorld, evento anual organizado pela Oracle em Las Vegas, Estados Unidos.

O que é a NetSuite

A Netsuite é uma companhia de software na nuvem para gestão de pequenas empresas fundada por Evan Goldberg em 1998, na Califórnia. Anos depois, foi adquirida pela Oracle em 2017 por US$ 9,3 bilhões de dólares para escalar soluções para PMEs, uma vertical ainda tímida na gigante de tecnologia naquela época.

Desde então, a companhia manteve certa autonomia dentro da Oracle, ainda que tenha sido incorporada a tecnologia e também todos os funcionários. “Hoje podemos dizer que somos uma empresa dentro de uma empresa. Mantivemos os valores e a visão crítica para atender pequenos e médios negócios, e apenas levamos isso a um nível global com a entrada da Oracle”, diz Moussalli.

Cinco anos depois, a estratégia de focar em empresas menores continua mostrando resultados. No terceiro trimestre deste ano, apenas a divisão de NetSuite cresceu 27% em receita. Para efeitos de comparação, a Oracle como um todo reportou um aumento de 4%, para 10,5 bilhões de dólares.

A Oracle NetSuite atende atualmente a um portfólio de 32.000 clientes pelo mundo. Em suma, PMEs em busca de soluções mais ágeis e inteligentes para lidar com as burocracias gerenciais comuns ao dia a dia operacional, a começar pela complexidade na gestão da força de trabalho.

A vez do Brasil

Os números servem de base para a nova tese de investimentos da Oracle NetSuite em outros mercados. De todos os países da América Latina, região onde a empresa já tem exemplos bem acabados de clientes a partir da implementação do SuiteSuccess, o Brasil ainda segue em estado mais embrionário.

Por aqui, a NetSuite se limita a atender empresas de serviços, especialmente as de software e distribuição. Segundo Moussalli, essa é uma lógica que deve ser modificada ainda em 2022, a partir da chegada do método de sucesso da companhia ao Brasil, prevista para novembro. “Nossa intenção é expandir nosso escopo e levar o SuiteSucess para o mercado brasileiro, hoje tão promissor”, diz.

Para crescer no Brasil, a o objetivo é continuar impactando startups em busca de escala, e também empresas com algum potencial de crescimento e que podem se beneficiar da agilidade dos softwares para expandir fronteiras ou até mesmo manter a sobrevivência do negócio em tempos em que cortes de custos e eficiência são termos cada vez mais populares entre as startups.

Na lista de clientes da SuiteWorld no país estão startups relevantes como a Inteli, PipeFy e a proptech InGaia. “As startups são nosso DNA. Esse é nosso forte e onde aportamos maior parte do nosso conhecimento e esforços”, diz o executivo.

Além disso, o foco da atuação da NetSuite por aqui será pautado nas particularidades do mercado brasileiro, principalmente a complexidade tributária encarada por pequenas empresas.

Uma nova ferramenta de geração automática de notas fiscais eletrônicas e outros encargos obrigatórios a essas companhias foi apresentada durante o SuiteWorld. A previsão é de que ela passe a ser implementada aos clientes brasileiros a partir de novembro.

Para Moussalli, as pequenas e médias empresas seguem sendo um atrativo para a Oracle NetSuite no Brasil, já que a companhia prevê um crescimento desse mercado nos próximos anos com base na necessidade contínua de crescimento das próprias companhias — hoje responsáveis por 27% do PIB do Brasil. "Trabalhar com pequenas empresas no Brasil é um oceano azul, um mercado infinito", disse. "Vamos ajudar a resolver essa complexida na medida em que as PMEs precisam se tornar mais maduras".

Novidades na NetSuite

A empresa lança neste mês quatro novas funcionalidades, agora incorporadas ao seu sistema de gestão na nuvem NetSuite. São elas:

  • NetSuite CPQ, para precificação automática de produtos, seguindo regras personalizadas por times de vendas;
  • NetSuite Ship Central, ferramenta que ajuda empresa a eliminar processos e custos durante o processos de compra;
  • NetSuite AP Automation, que controla e automatiza a gestão de fluxo de caixa e contas a pagar, especialmente pagamento a fornecedores;
  • SuitePeople Workforce Management, de gerenciamento da força de trabalho, com gestão do controle de ponto, folha de pagamento, cálculos salariais, agendamento de turnos, entre outros.

* A jornalista viajou a convite da Oracle

VEJA TAMBÉM

Oracle anuncia plataforma mais "refinada" e quer atrair PMEs que buscam digitalização

Benioff e Taylor, da Salesforce: aposta em insights de CRM em tempo real e na agenda net zero