KFC vai “imprimir” frango vegetal em parceria com laboratório russo

A rede americana está desenvolvendo os primeiros nuggets de laboratório do mundo, como parte do seu conceito de “restaurante do futuro”

O apelo de opções veganas e com menos impacto ambiental está crescendo cada vez mais entre as grandes cadeias de alimentação do mundo. Agora é a vez da rede KFC, que anunciou uma parceria com a empresa russa 3D Bioprinting Solutions para desenvolver o primeiro nugget de carne vegetal do mundo.

Em comunicado, a KFC afirmou que este é "o próximo passo em seu conceito inovador de criar um restaurante do futuro". O desenvolvimento da tecnologia de bioimpressão 3D irá criar carne de frango em cooperação com o laboratório de pesquisa.

A ideia de elaborar a “carne do futuro” surgiu entre os parceiros "em resposta à crescente popularidade de um estilo de vida e nutrição saudáveis", além do aumento da demanda por alternativas à carne tradicional, em meio à "necessidade de desenvolver métodos de alimentação mais ecológicos".

Segundo o grupo americano, o projeto visa criar os primeiros nuggets de frango produzidos em laboratório do mundo. "Serão o mais próximo possível em termos de sabor e aparência em relação aos produtos KFC originais, além de ser mais ecologicamente corretos do que a carne comum", destacou no comunicado.

A chegada de um produto final para teste já está planejada para o outono de 2020 em Moscou, informou a rede americana.

O que vai na "impressora"?

No comunicado, a KFC explica que a 3D Bioprinting Solutions está desenvolvendo uma tecnologia usando células de galinha e material vegetal, o que permite "reproduzir o sabor e a textura da carne de frango quase sem envolver animais no processo".

A rede americana fornecerá todos os ingredientes necessários, como especiarias, por exemplo, para obter o sabor KFC. "No momento, não existem outros métodos disponíveis no mercado que permitam a criação de produtos tão complexos a partir de células animais", disse a companhia.

A parceria destaca ainda que o método de bioimpressão exclui aditivos usados ​​na agricultura tradicional e na criação de animais, "criando um produto final mais limpo" e "mais ético". Segundo o comunicado, cientistas do mundo todo estão trabalhando para encontrar soluções que permitam fornecimento de alimentos para a crescente população global e, ao mesmo tempo, reduzam o impacto negativo no meio ambiente.

"O uso de tecnologias baseadas na bioimpressão 3D pode se tornar um campo promissor nessa área. A KFC continua comprometida com a melhoria contínua do bem-estar animal da fazenda e através de todos os aspectos de nossa cadeia de suprimentos".

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.