Governo quer trazer fábrica da Tesla para o Brasil

Bolsonaro afirmou que planeja ir aos Estados Unidos em março e, na agenda, está a negociação de uma fábrica da montadora de carros elétricos

São Paulo — O governo brasileiro está em negociações preliminares para trazer para o Brasil uma fábrica da montadora de carros elétricos americana Tesla. Na manhã desta sexta-feira (21), o presidente brasileiro Jair Bolsonaro publicou em seu perfil no Twitter que irá em março para os Estados Unidos e, entre seus compromissos, está a negociação da construção de uma fábrica da montadora no Brasil.

O governo brasileiro planeja a visita do presidente Jair Bolsonaro e do ministro da Economia, Paulo Guedes, em uma unidade da Tesla nos Estados Unidos.

Na quinta-feira (20), o senador Eduardo Bolsonaro, também na rede social, publicou a imagem de uma reunião que incluiu também o ministro de Ciência e Tecnologia, Marcos Pontes, e o ministro-conselheiro da embaixada dos EUA no Brasil, William Popp.

A ideia é que a fábrica seja eventualmente instalada em Santa Catarina, na cidade de Criciúma. Um dos intermediadores do projeto é o deputado federal Daniel Freitas (PSL-SC), autor de um projeto de lei para isenção fiscal a carros elétricos.

A Tesla já tem fábricas nos Estados Unidos e na China, enquanto uma planta na Alemanha está em construção.

A montadora do bilionário Musk é cercada de polêmicas, como atrasos nas entregas. No início de fevereiro, as ações caíram depois que o vice-presidente da Tesla, Tao Lin, disse que as entregas programadas para o início de fevereiro sofrerão atraso devido ao fechamento da fábrica na China, seguindo as diretrizes do governo.

Na Alemanha, a construção da fábrica está sendo recebida com opiniões mistas. O local da construção é uma área florestada próxima a Berlim e deverá empregar 12 mil trabalhadores para produzir cerca de 50 mil veículos por ano.

Quando o projeto foi anunciado, em novembro, foi descrito como forma de desenvolver economicamente a região e poderia até trazer outros investidores ao setor automotivo alemão.

O grupo ambiental Grüne Liga Brandenburg (ou Liga Verde Brandemburgo) diz que a empresa americana não deveria ser autorizada a começar a derrubada de árvores até que consiga toda a permissão para a construção. A derrubada foi temporariamente suspensa.

A onda dos elétricos

Nesta quinta-feira (20), a Audi anunciou que fará um investimento de 10 milhões de reais para a instalação de 200 estações de recarga de veículos elétricos no Brasil até 2022. A decisão ocorre em meio ao avanço, ainda tímido, da oferta e das vendas no segmento. “A infraestrutura de recarga sempre aparece como um dos pontos de maior preocupação dos potenciais consumidores em pesquisas que realizamos sobre veículos elétricos”, diz Johannes Roscheck, CEO da Audi do Brasil.

A quantidade de estações de recarga ainda é limitada para o tamanho do Brasil: são cerca de 250 a 300 unidades, segundo a Associação Brasileira do Veículo Elétrico (ABVE).

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.