GM vai cancelar modelos e cortar produção e empregos na América do Norte

A montadora planeja reduzir o investimento anual para 7 bilhões de dólares até 2020, ante média de 8,5 bilhões por ano entre 2017 e 2019

Detroit/Washington - A General Motors anunciou nesta segunda-feira que vai cortar a produção de modelos com vendas fracas e demitir pessoal na América do Norte, diante de um mercado estagnado para sedãs movidos a gasolina, em uma reestruturação que vai levar mais investimento para veículos elétricos e autonômos.

O anúncio marca a maior reestruturação da maior montadora de veículos da América do Norte desde que foi resgatada pelo governo dos Estados Unidos uma década atrás.

A GM afirmou que assumirá encargos relacionados aos cortes de 3 bilhões a 3,8 bilhões de dólares, mas espera que as ações melhorem o fluxo de caixa livre anual em 6 bilhões de dólares até o final de 2020.

A montadora norte-americana planeja interromper em 2019 a produção em três fábricas em Ohio e Michigan, nos EUA, e Ontário, no Canadá. A companhia também planeja parar de produzir vários modelos montados nestas fábricas, incluindo o Chevrolet Cruze, o Cadillac CT6 e o Buick LaCrosse, disseram fontes.

Duas fábricas de motores e transmissões em Maryland e em Michigan, não têm produtos designados para elas e por isso correm o risco de serem fechadas. A GM também vai fechar duas fábricas fora da América do Norte, mas não detalhou.

A força de trabalho assalariada norte-americana da GM, incluindo engenheiros e executivos, será reduzida em 15 por cento, ou cerca de 8 mil funcionários. A companhia afirmou que vai reduzir o quadro de executivos em 25 por cento para acelerar processo decisório.

As ações da GM subiam cerca de 6 por cento às 14h45 (horário de Brasília), a 37,97 dólares.

A presidente-executiva da GM, Mary Barra, disse que a companhia poderá reduzir um investimento anual em 1,5 bilhão de dólares e ampliar desembolsos em veículos elétricos e autônomos e em tecnologia de veículos conectados. Cerca de 75 por cento das vendas globais da GM virão de apenas cinco arquiteturas de veículos até o início dos anos de 2020.

A montadora planeja reduzir o investimento anual para 7 bilhões de dólares até 2020, ante média de 8,5 bilhões por ano entre 2017 e 2019.

As rivais Ford e Fiat Chrysler também anunciaram redução de produção nos EUA. A Ford anunciou em abril que planejava parar de produzir quase a totalidade de seus carros de passeio na América do Norte.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.