Negócios
Acompanhe:

Ford: 4.º trimestre será termômetro para lançamentos

Montadora deverá avaliar a aceitação do consumidor com os lançamentos dos novos EcoSport e Fiesta


	Objetivo, no Brasil, é que em 2015 todos os veículos da Ford façam parte de projetos globais, como o novo EcoSport
 (Divulgação)

Objetivo, no Brasil, é que em 2015 todos os veículos da Ford façam parte de projetos globais, como o novo EcoSport (Divulgação)

W
Wladimir D'Andrade, Gustavo Porto

22 de outubro de 2012, 13h49

São Paulo - O vice-presidente global de marketing da Ford, Jim Farley, disse nesta segunda-feira que este quarto trimestre será decisivo para avaliar a aceitação do consumidor aos lançamentos da marca, entre eles o novo EcoSport e o novo Fiesta. De acordo com Farley, o desempenho da Ford neste fim de ano vai funcionar como uma espécie de termômetro para a montadora. "O quarto trimestre vai ser a nossa maior chance de crescer", disse, durante almoço no 27.º Salão Internacional do Automóvel, em São Paulo. "2013 será um ano especial para a Ford", afirmou.

A meta da montadora é que os produtos da empresa sejam projetos globais. O objetivo, no Brasil, é que em 2015 todos os veículos da Ford façam parte de projetos globais. Um exemplo é o novo EcoSport, projetado no País e que será também vendido na Europa e na Ásia. A Ford reiterou que investimentos no total de R$ 4,5 bilhões estão em curso no País. Essa cifra faz parte do pacote de investimentos para o período de 2011 a 2015. Segundo Farley, o mercado brasileiro é desafiador porque o consumidor exige excelência em design, tecnologia e engenharia a preços acessíveis.

Ele citou também a importância da engenharia brasileira para os projetos da Ford, como nos casos dos de motores flex e do novo EcoSport. "O mercado brasileiro não é só volume para a Ford", disse - o Brasil é o quarto maior mercado da montadora.