Acompanhe:

Falência do SVB: startup do Canadá tem mais de 90% do caixa preso no banco

Dos 59,8 milhões de dólares que a adtech AcuityAds tem de caixa, US$ 55 milhões estavam depositados nos cofres do SVB

Modo escuro

No comunicado aos investidores, a empresa informou que tinha pedido a suspensão da negociação das ações na sexta-feira, 10, na Nasdaq, bolsa em que está listada desde 2021 (Sheldon Cooper/SOPA Images/LightRocket/Getty Images)

No comunicado aos investidores, a empresa informou que tinha pedido a suspensão da negociação das ações na sexta-feira, 10, na Nasdaq, bolsa em que está listada desde 2021 (Sheldon Cooper/SOPA Images/LightRocket/Getty Images)

M
Marcos Bonfim

Publicado em 13 de março de 2023, 10h33.

Última atualização em 13 de março de 2023, 11h19.

O anúncio da falência do Silicon Valley Bank (SVB) causou temor nos mercados na última semana e acionou o alerta em todo o setor. Colocou também uma startup do Canadá em uma situação bem complicada.

A adtech AcuityAds Holdings Inc., sediada em Toronto, informou que mais de 90% do seu patrimônio estava na instituição financeira. Dos 59,8 milhões de dólares que a startup tem de caixa, US$ 55 milhões ficavam nos cofres do SVB.

No comunicado aos investidores, a empresa informou que tinha pedido a suspensão da negociação das ações na sexta-feira, 10, na Nasdaq, bolsa em que está listada desde 2021. Quando houve a interrupção, os papéis já despencavam mais de 14%.

Criada em 2009, a empresa de tecnologia para publicidade aproveitou a expansão do digital e entusiasmo dos investidores para abrir o capital com uma avaliação superior a US$ 1,3 bilhão.

Desde então, o valor de mercado caiu mais de 90%, movimento puxado por dois motivos principais:

  • Estagnação no crescimento da receita
  • Avaliações mais criteriosas dos investidores sobre os negócios de tecnologia

O que a empresa pretende fazer

Antes da abertura das negociações da Nasdaq nesta segunda-feira, 13, a adatech soltou um novo comunicado.

A nota repercute a declaração do Tesouro dos Estados Unidos, do Federal Reserve (Fed) e do Financial Deposit Insurance Corporation (Fidc) de que todos os clientes do SVB serão “integralmente protegidos".

“A empresa espera que sua situação de caixa melhore ser resolvido sem qualquer interrupção de suas operações normais e sem incorrer em perdas financeiras”, afirma.

Segundo a AcuityAds, a startup também se movimentou nos últimos dois dias para que conseguisse manter a operação dependendo apenas dos recursos que depositados em outras instituições e das relações bancárias que mantém.

Antes do anúncio conjunto das autoridades financeiras, havia um receio de que credores com valores superiores a US$ 250.000 – valor limite do seguro - pudessem ficar no prejuízo.

De acordo com o comunicado das três entidades, o governo americano garantiu que os clientes do banco terão acesso ao dinheiro de todos os depósitos a partir desta segunda-feira, 13, como parte de um plano para mitigar os efeitos da quebra do banco no sistema financeiro.

Créditos

Marcos Bonfim

Marcos Bonfim

Repórter de NegóciosFormado em jornalismo pela PUC-SP e com pós em Política e Relações Internacionais pela FESPSP, escreve sobre negócios desde 2022. Acumula passagens por veículos como Meio & Mensagem, Propmark e UOL