Com a RAM 1500, mercado brasileiro terá uma nova categoria de picapes

O modelo está confirmado para o Brasil, e espera-se que mais um veículo do mesmo porte desembarque por aqui pela concorrência

Com a chegada da RAM 1500, picape de grande porte da marca do grupo Fiat Chrysler Automobiles (FCA), o mercado brasileiro terá uma nova categoria de veículos, em um dos segmentos mais rentáveis da indústria automotiva.

A montadora confirmou a chegada do modelo mesmo diante da crise enfrentada pelo setor em meio à pandemia do novo coronavírus, além da alta do dólar (a RAM 1500 será importada).

Espera-se também que a picape Silverado, da General Motors — concorrente direta da RAM 1500 –, retorne ao mercado brasileiro. Ernesto Ortíz, vice-presidente de operações da GM América do Sul, afirmou que o modelo virá para o Brasil em entrevista ao canal de Youtube argentino Vision Motor. A Silverado já foi vendida no país há cerca de 20 anos.

Procurada, a GM do Brasil disse que não vai comentar o assunto.

Atualmente, o mercado de picapes no Brasil conta com as categorias de entrada, com destaque para Strada (Fiat) e Saveiro (Volkswagen), além das picapes médias: Ranger (Ford), Amarok (Volkswagen), S10 (Chevrolet-GM), Hilux (Toyota), entre outras.

Breno Kamei, diretor para Chrysler, Dodge e RAM no Brasil, afirma que a RAM 1500 vai trazer esportividade, potência, melhor utilização da caçamba, espaço interno, e segurança. “Vemos muito potencial para expansão da categoria de picapes grandes no Brasil. Com uma oferta de itens refinados e inúmeras tecnologias, vamos atrair consumidores que nunca pensaram em ter uma picape desse porte.”

Segundo Murilo Briganti, diretor de produto da Bright Consulting, a nova categoria terá um apelo forte no agronegócio. “Porém, diante da faixa de preço da categoria, a fatia de mercado deve ser composta também de pessoas físicas que buscam status, espaço, robustez e segurança.”

Embora a RAM ainda não fale de preços, o consultor da Bright projeta que a RAM 1500 não deve vir por menos de 300.000 reais ao país, com um volume de vendas estimado de 1.000 a 1.500 unidades por ano.

Reinado

O executivo da RAM afirma que a marca reina solitária na categoria de picapes grandes, no Brasil, atualmente. Desde 2005, a montadora vende a RAM 2500 no país, sem concorrência direta.

Apesar da exigência de habilitação C ou D para conduzir a 2500, Kamei afirma que o modelo pode ser considerado um sucesso no país. Neste ano, a montadora deve mais do que dobrar as vendas do veículo, para cerca de 1.500 unidades — um recorde histórico para o modelo, principalmente após o lançamento recente da nova versão.

“A RAM 2500 traz conforto e requinte, ao mesmo tempo que é uma picape robusta. A marca tem um papel muito importante na evolução do segmento”, afirma Kamei.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?

Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?

Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 15,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

exame digital + impressa

R$ 44,90/mês

  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa quinzenal.

  • Frete grátis

Já é assinante? Entre aqui.

Apoie a Exame, por favor desabilite seu Adblock.