CEO do JPMorgan dá declaração constrangedora sobre resultado

Os resultados do banco de investimentos decepcionaram investidores. Os lucros caíram 7% no trimestre e despesas incluem quase US$1 bilhão em custos legais

São Paulo - Indignado com os resultados do trimestre, o presidente do JPMorgan soltou o verbo durante conferência e deixou seus ouvintes constrangidos.

Para o presidente Jamie Dimon, o banco “tentaria evitar pisar em cocô de cachorro” (na verdade, ele usou outra palavra). Ele também explodiu contra analistas, que estariam com uma visão negativa das projeções do banco.

Essas declarações, além dos resultados, derrubaram as ações do banco em 4,5%.

Os resultados do maior banco dos Estados Unidos decepcionaram investidores. Além de uma queda de 6,6% nos lucros do trimestre, as despesas incluem quase US$1 bilhão em custos legais.

Os custos vêm na esteira de investigações do governo sobre supostas práticas ilegais. Sobre esses inquéritos, Dimon disse que "os bancos estão sob ataque", em teleconferência com jornalistas nesta quarta-feira.

As receitas de trading de renda fixa caíram 23% e as subscrições de ações foram 25% mais baixas nesse trimestre. Além disso, as receitas totais caíram 10% em relação ao mesmo período do ano passado.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.