Negócios

BNDES assume condução de processo de concessão da Celg

O edital e a minuta do contrato de compra e venda da Celg D deverão ser publicados ainda em fevereiro


	Celg: o edital e a minuta do contrato de compra e venda da Celg D deverão ser publicados ainda em fevereiro
 (Divulgação/Celgpar)

Celg: o edital e a minuta do contrato de compra e venda da Celg D deverão ser publicados ainda em fevereiro (Divulgação/Celgpar)

DR

Da Redação

Publicado em 15 de fevereiro de 2016 às 08h37.

Brasília - O ministro de Minas e Energia, Eduardo Braga, delegou à diretoria do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES) a competência para executar o processo licitatório da Celg Distribuição, empresa controlada pela Eletrobras, com aproximadamente 51% de participação, e pela CelgPar, do Governo do Estado de Goiás, com 49%.

Com a decisão, que consta de portaria divulgada no Diário Oficial da União (DOU), o BNDES assume a condução de todo o processo.

Pelo decreto de maio do ano passado que incluiu a distribuidora no Programa Nacional de Desestatização (PND), o Ministério de Minas e Energia estava designado como responsável pela execução e acompanhamento da concessão, e o BNDES, apenas faria a contratação dos serviços e daria o apoio técnico necessário à execução da desestatização.

Agora, o banco de fomento assumirá todas as funções, "em razão de circunstâncias de natureza técnica".

De acordo com a portaria, a delegação dada ao banco poderá ser subdelegada a critério da diretoria do BNDES.

A norma ainda explica que "os recursos interpostos em face de decisão adotada por delegação, serão inicialmente apreciados no âmbito da autoridade delegada que, ao analisar os fundamentos do recurso deverá: manter a decisão impugnada, caso em que determinará o encaminhamento dos autos do procedimento licitatório para o delegante, autoridade máxima e última instância administrativa para decidir sobre a matéria; ou reconsiderar a decisão, hipótese em que não será necessária a remessa do recurso à autoridade delegante".

De acordo com cronograma divulgado pela Eletrobras, o edital e a minuta do contrato de compra e venda da Celg D deverão ser publicados ainda em fevereiro. Já o leilão está previsto para ocorrer em março.

Acompanhe tudo sobre:BNDESCelgEletrobrasEmpresasEmpresas estataisEnergia elétricaEstatais brasileirasHoldingsServiços

Mais de Negócios

Cacau Show, Chilli Beans e mais: 10 franquias no modelo de contêiner a partir de R$ 30 mil

Sentimentos em dados: como a IA pode ajudar a entender e atender clientes?

Como formar líderes orientados ao propósito

Em Nova York, um musical que já faturou R$ 1 bilhão é a chave para retomada da Broadway

Mais na Exame