Banco de Abu Dhabi quer elevar empréstimos na América Latina

Segundo representantes do banco no Brasil, companhias que se encaixam no perfil do banco para receber empréstimos incluem Vale e a JBS

	Agência do National Bank of Abu Dhabi (NBAD): banco possui cerca de US$ 600 milhões em empréstimos pendentes no Brasil
 (Matilde Gattoni/Bloomberg)
Agência do National Bank of Abu Dhabi (NBAD): banco possui cerca de US$ 600 milhões em empréstimos pendentes no Brasil (Matilde Gattoni/Bloomberg)
Por Cristiane Lucchesi, Filipe PachecoPublicado em 10/03/2014 17:10 | Última atualização em 10/03/2014 17:10Tempo de Leitura: 2 min de leitura

São Paulo - National Bank of Abu Dhabi quer aumentar empréstimos corporativos e oferecer outros tipos de produtos para companhias da América Latina, diz Angela Martins, principal representante do banco no Brasil, em entrevista de São Paulo.

O foco está em companhias que fazem negócio em países considerados pelo banco como prioridade, incluindo no extremo Oriente, Oriente Médio e África, diz Martins.

As companhias que se encaixam no perfil incluem Vale, a maior produtora mundial de minério de ferro, com sede no Rio de Janeiro, e a JBS, a maior produtora de carne bovina, com sede em São Paulo, conforme Martins. Ela também citou a BRF, a exportadora de aves domésticas, com sede em São Paulo.

"Como fizemos muitos negócios com bancos em 2013, neste ano nós planejamos focar mais em companhias’’, acrescentou.

National Bank of Abu Dhabi é o maior emprestador do emirado.

Martins disse na semana passada que os empréstimos ligados à América Latina devem aumentar para mais de US$ 720 milhões até o fim do ano.

Entre os negócios do NBAD estão as coberturas, o fornecimento de transações com taxa de câmbio para moedas com baixo volume de operações e a distribuição de empréstimos e títulos latino-americanos no Oriente Médio, com foco no Brasil, no Chile e no Peru.

Os maiores bancos de Abu Dhabi estão se expandindo no exterior para reduzir sua dependência dos mercados imobiliários locais e acessar fluxos comerciais no Oriente Médio, na África e na Ásia que, segundo o NBAD, poderiam gerar até US$ 137 bilhões em transações de banca corporativa e serviços de assessoramento para a indústria.

Cingapura, Paris

O NBAD também planeja criar centros em cidades como Cingapura, Hong Kong, Londres, Paris e Washington, disse o CEO Alex Thursby em outubro.

O banco possui cerca de US$ 600 milhões em empréstimos pendentes no Brasil após abrir um escritório de representação em São Paulo no ano passado, conforme Martins. Em junho, o banco emprestou US$ 100 milhões ao Itaú Unibanco Holding SA, o maior banco da América Latina por valor de mercado, como parte de um grupo que forneceu à empresa com sede em São Paulo um empréstimo de US$ 1,23 bilhão a três anos e outro de US$ 270 milhões a quatro anos.

O NBAD também participou no empréstimo de US$ 210 milhões assinado pelo Banco Santander Brasil SA em 20 de dezembro.