Negócios
Acompanhe:

App oferece produtos próximos do vencimento a preços mais atrativos

Ao conectar varejistas a consumidores, foodtech brasileira tem como meta chegar a 1.000 toneladas de produtos salvos do desperdício até o fim de 2022

Luciano Kleiman, Daniel Neuman e Hyung Kim, sócios do b4waste: compras de produtos com desconto são feitas dentro do app (B4waste/Divulgação)

Luciano Kleiman, Daniel Neuman e Hyung Kim, sócios do b4waste: compras de produtos com desconto são feitas dentro do app (B4waste/Divulgação)

D
Da Redação

25 de novembro de 2022, 17h55

O Brasil é um dos maiores produtores e exportadores de grãos do planeta. De acordo com o estudo O Agro no Brasil e no Mundo, o país, em 2021, foi o maior exportador mundial de soja (número que chegou a 91 milhões de toneladas), terceiro maior produtor de milho e feijão (105 milhões e 2,9 milhões de toneladas) e o maior exportador de carne bovina (2,5 milhões de toneladas).

Ao mesmo tempo, um levantamento da Organização das Nações Unidas (ONU) mostra que o Brasil desperdiça por ano cerca de 27 milhões de toneladas de alimentos, sendo que 60% dos alimentos descartados vêm do consumo familiar. 

Em um país em que, segundo informações da Rede Brasileira de Pesquisa em Soberania e Segurança Alimentar (PENSSAN), em 15,5% dos domicílios há pessoas passando fome — dado que representa mais de 33 milhões de cidadãos —, a conta não fecha.

Uma solução para o desperdício

Foi considerando esse cenário que Luciano Kleiman e Daniel Neuman desenvolveram a foodtech brasileira b4waste, que tem como principal objetivo contribuir com a diminuição do desperdício ao conectar empresas com perdas de alimentos e outros produtos por validade a interessados em adquirir esses itens por um preço mais acessível.

Para se ter ideia, só na Região Metropolitana do Rio de Janeiro, ainda de acordo com a ONU, são produzidas quase 17 mil toneladas de lixo diariamente. “Por conta desses números é que enxergamos a cidade como uma oportunidade de atuação. Com a b4, os cariocas podem ajudar na causa do desperdício e ainda economizar acima de 50% nas compras do dia a dia”, diz Kleiman.

Como funciona o b4waste?

O aplicativo funciona como um marketplace e já conta com mais de 100 estabelecimentos cadastrados em São Paulo, Belo Horizonte e Rio de Janeiro. 

Por meio dele, o consumidor tem à disposição mercados e empórios, lojas, restaurantes, padarias e cafés, podendo optar por receber os produtos em casa, retirar ou consumir no local. 

Outro diferencial é o uso da tecnologia para digitalizar todo o processo, tornando-o rápido e sem custo para os varejistas parceiros. 

Reduzir desperdícios é uma mudança de hábito

Kleiman ressalta que a b4waste tem uma conexão direta com quatro dos Objetivos de Desenvolvimento Sustentável (ODS) da ONU, com um grande potencial para contribuir em escala na redução do desperdício e nos danos ambientais. 

“Reduzir desperdício de alimentos é menos complexo e custoso do que reduzir a circulação de carros e aviões. Temos como objetivo converter desperdício de alimentos em oportunidade, beneficiando todos os envolvidos na cadeia e gerando valor”, diz.

A meta da foodtech é por fim à perda de mais de nove milhões de toneladas de alimentos no Brasil - o que representa mais de R$ 50 bilhões anualmente. Até o final de 2022, a expectativa é aumentar o número de parceiros e lojas credenciadas no aplicativo e, com isso, chegar a 1.000 toneladas de alimentos e produtos salvos do desperdício.

A empresa pretende ainda ampliar a sua atuação para mais oito capitais e seguir com a missão   de oferecer acesso a produtos de qualidade por preços baixos. 

“A alta recorrência de consumo no aplicativo, com uma média de quatro compras mensais por cliente, comprova que os consumidores têm adotado a plataforma. Queremos fazer com que o desperdício de alimentos seja diminuído em grande escala e essa preocupação se torne um hábito dos brasileiros”, finaliza Kleiman.