Votação recorde nos EUA: eleitores comparecem em massa às urnas

Cerca de 160 milhões americanos, que representam 67% dos eleitores, devem votar, no maior comparecimento às urnas desde 1908
Eleitores votam em Ohio: americanos comparecem às urnas em número recorde (Ty Wright/Getty Images)
Eleitores votam em Ohio: americanos comparecem às urnas em número recorde (Ty Wright/Getty Images)
Por Carla AranhaPublicado em 03/11/2020 21:07 | Última atualização em 03/11/2020 21:39Tempo de Leitura: 2 min de leitura

Nem o coronavírus foi capaz de segurar os americanos em casa nessas eleições. Pela primeira vez em mais cem anos, 67% dos eleitores resolveram comparecer às urnas. Nesta terça-feira, dia 3, dezenas de milhões de pessoas enfrentaram o frio, que já atinge vários Estados, e a pandemia para expressar seu apoio a Donald Trump ou Joe Biden. E mais de 101 milhões de americanos votaram antecipadamente.

De acordo com projeções da Universidade da Flórida, cerca de 160 milhões de americanos devem votar nessas eleições. A última vez que tanta gente compareceu às urnas foi em 1908. "É a primeira vez que voltamos aos níveis de votação de mais de um século atrás", disse Michael P. McDonald, professor da Universidade da Flórida, ao jornal The New York Times. "Isso é impressionante". 

Em meio à uma polarização política, protestos contra a atuação da polícia e movimentos negros, pelo menos seis Estados, entre eles o Texa, Colorado e Washginton, registraram um número recorde de votos antecipados. Em função do coronavírus, este ano muitos americanos optaram por votar pelo Correio ou comparecer antecipamente às urnas.

Em muitos Estados, como o Texas e a Carolina do Norte, diversos eleitores negros e de outras minorias decidiram votar antecipadamente. Na Carolina do Norte, já foram computados mais de 4,6 milhões de votos.

O volume de votos (que considera tanto presenciais quanto por correspondência) já representa o dobro do registrado em 2016 e corresponde a 68% do total de eleitores da última eleição presidencial.