Os 3 estados americanos que devem ter resultados rápidos (e decisivos)

Georgia, Flórida e Carolina do Norte devem ter seus votos contados ainda na noite desta terça-feira e são essenciais para ambos os candidatos.
Votação na Flórida: estado é um dos que podem ter votos contabilizados ainda nesta noite e que pode decidir eleição (Marco Bello/Reuters)
Votação na Flórida: estado é um dos que podem ter votos contabilizados ainda nesta noite e que pode decidir eleição (Marco Bello/Reuters)
Por Thiago Lavado, Carolina RiveiraPublicado em 03/11/2020 19:32 | Última atualização em 14/06/2021 13:00Tempo de Leitura: 5 min de leitura

A pandemia de covid-19 alterou significativamente o sistema de eleição nos Estados Unidos. Este ano, diante de uma corrida eleitoiral como poucas na história do país, e com mais de 100 milhões de votos realizados previamente, seja pelo correio ou pelo sistema de eleição antecipada, o resultado das eleições pode demorar. Alguns estados, como Ohio, irão receber votos enviados pelo correio por dias após a eleição, e isso pode atrasar a apuração nesses estados.

Apesar disso, há 3 estados que merecem atenção e que já computaram a maior parte dos votos enviados pelo correio. Tratam-se de Flórida, Carolina do Norte e Georgia. O republicano Donald Trump precisa vencer nos três ou terá um caminho ainda mais conturbado para conseguir se reeleger.

O democrata Joe Biden também conta essas vitórias. Se ele perder nos três, pode esquecer o favoritismo. De acordo com a previsão realizada pelo site FiveThirtyEight, do estatístico Nate Silver, se Biden não levar esses três estados, suas chances de vencer caem de 90% para 50% e ele precisaria ganhar Pensilvânia e Arizona. Pior: se Biden não levar os três estados, isso pode indicar que as pesquisas estavam erradas e que a margem de Trump é maior do que a indicada.

Os três estados também terão uma divulgação mais transparentes, afirmando de onde vieram os votos que estão divulgando e como eles foram realizados (se são presenciais ou por correio, por exemplo). Isso irá permitir análises mais interessantes sobre o estado da eleição durante a noite desta terça-feira, 3.

Confira por que esses lugares são importantes para as eleições e que horário as urnas fecham em cada um deles.

Flórida

Com 29 votos no colégio eleitoral, a Flórida é um tradicional pêndulo da eleição americana e testemunhou uma recontagem ansiosa nas eleições de 2000, em que o então governador do Texas, George W. Bush, venceu a eleição por pouco mais de 500 votos no estado.

Este ano, o agregado das pesquisas aponta para uma vitória de Joe Biden no estado, com cerca de 49,1% dos votos, de acordo pesquisas compiladas pelo FiveThirtyEight. Trump levou a Flórida em 2016, com uma margem apertada. Ele teve 50,8% dos votos.

Como é um estado relativamente grande e bastante populoso, a Flórida tem vários horários de fechamento das urnas. As primeiras devem fechar às 20h (horário de Brasília), com uma nova leva fechando às 20h30 e a região do Panhandle, a parte mais próxima da Louisianna deve fechar suas urnas às 21h do horário brasileiro.

Geórgia

Como na Flórida, as primeiras urnas na Geórgia, sua vizinha, devem fechar às 21h (horário de Brasília), e há uma expectativa de que o resultado seja definido hoje caso algum dos candidatos tenha ampla vantagem.

A Geórgia pode se mostrar um dos símbolos da importância do eleitorado negro nesta eleição, que representa um terço do total por lá. O estado tem um número alto de votos no colégio eleitoral (16), mas é historicamente republicano e não elege um presidente democrata desde Bill Clinton em 1992. Por isso, não costumava ser um swing state ou ficar entre os estados mais disputados. Neste ano, em meio à rejeição crescente de Trump entre os negros, o cenário mudou.

O estado também virou um "campo de batalha" dos questionamentos de supressão dos votos. Sobretudo democratas têm reclamando que regras republicanas, a redução dos pontos de votação e dificuldades nos registros dos eleitores estão fazendo com que minorias na Geórgia tenham dificuldade em votar ou possam ter votos invalidados, o que prejudicaria os democratas.

A briga tem um motivo de ser: na Geórgia, cada voto vai importar. Os dois candidatos estão basicamente empatados nas pesquisas. A média do RealClearPolitics dá 1 ponto de vantagem para Trump, dentro da margem de erro, enquanto a média do FiveThirtyEight dá o mesmo 1 ponto para Biden.

A disputa na Geórgia será uma das mais acirradas da eleição, e uma das mais polêmicas e com possibilidade de questionamentos na Justiça.

Carolina do Norte

Com 15 votos no colégio eleitoral, a Carolina do Norte fecha urnas às 21h30 (horário de Brasília).

A depender do resultado da contagem, um vencedor pode ser declarado rapidamente, mas a Carolina do Norte continuará aceitando votos ainda por uma semana, o que pode atrasar o processo. Autoridades locais estimam que 80% dos votos deva ser contabilizado ainda nesta terça.

O estado é tradicionalmente mais republicano no pleito presidencial, embora seja um dos mais competitivos de toda eleição. Por lá, o último democrata a ganhar foi Obama, em 2008, em sua primeira eleição. Antes disso, só Jimmy Carter em 1976 havia conquistado o estado.

A disputa está apertada, com leve liderança de Biden. O democrata está 2 pontos à frente na média das pesquisas compiladas pelo FiveThirtyEight e empatado com Trump na análise do RealClearPolitics. Em 2016, Trump venceu com vantagem de 2,7 pontos no estado. Não foi um dos em que as pesquisas "erraram" naquele ano: Trump já tinha vantagem nas pesquisas antes da eleição e confirmou o resultado na urna.