Ucrânia pede mais armas para responder à anexação de quatro regiões ocupadas

Autoridades da Rússia reivindicaram vitória sobre a anexação de quatro territórios, votação considerada uma "farsa" por Kiev e seus aliados
Unidade de artilharia ucraniana: país pede ajuda militar após referendo de anexação feito pela Rússia (afp/AFP)
Unidade de artilharia ucraniana: país pede ajuda militar após referendo de anexação feito pela Rússia (afp/AFP)
A
AFP

Publicado em 28/09/2022 às 06:51.

Última atualização em 28/09/2022 às 07:59.

O governo da Ucrânia pediu nesta quarta-feira, 28, ao Ocidente um aumento "significativo" da ajuda militar depois que a autoridades pró-Rússia de quatro regiões ocupadas do país proclamaram vitória em referendos controversos de anexação.

"A Ucrânia pede à UE, Otan e ao G7 que aumentem a pressão sobre a Rússia de maneira imediata e significativa, incluindo a imposição de novas sanções duras, assim como um aumento significativo da ajuda militar à Ucrânia", afirmou o ministério das Relações Exteriores em um comunicado.

O ministério mencionou em particular "tanques, aviões de combate, veículos armados, artilharia de longo alcance, material antiaéreo e equipamento de defesa antimísseis".

LEIA TAMBÉM: Rússia finaliza referendos de anexação em territórios ucranianos ocupados

Kiev também pediu a "todos os Estados e organizações internacionais que condenem imediatamente as ações ilegais do Kremlin nos territórios temporariamente ocupados da Ucrânia e aumentem o isolamento da Rússia".

Na terça-feira à noite, as autoridades designadas por Moscou para quatro regiões ocupadas da Ucrânia reivindicaram vitória em referendos de anexação considerados "farsas" por Kiev e seus aliados.

O chefe da diplomacia da União Europeia (UE), Josep Borrell, criticou os referendos, que chamou de votações "ilegais", com resultados "falsificados".

"Esta é outra violação da soberania da Ucrânia e de sua integridade territorial, em meio a abusos sistemáticos dos direitos humanos", acrescentou.

LEIA TAMBÉM: