Taxa de suicídios oscila junto com o estado da economia nos EUA

Estudo mostrou que número de suicídios cresceu na época da grande depressão na década de 1930 e caiu durante o boom da internet no início do século 21

Washington - Mais americanos tiraram a própria vida em momentos de dificuldade econômica do que em tempos de prosperidade, assinala um estudo sobre os índices de suicídios e ciclos financeiros entre 1928 e 2007, divulgado nesta quinta-feira.

As taxas de suicídios entre as pessoas em idade de trabalho, entre 25 e 64 anos, foram mais elevadas durante a Grande Depressão de 1932, e mais baixas na época do boom as empresas de internet em 2000, indicou o Centro de Prevenção e Controle de Doenças (CDC) no informe publicado no American Journal of Public Health.

"Saber que os suicídios aumentaram durante as recessões econômicas e caíram durante os períodos de expansão enfatiza a necessidade de tomar medidas adicionais para a prevenção de suicídios quando a economia se fragiliza", afirmou James Mercy, diretor da Divisão de Prevenção da Violência do CDC.

"Sabemos que o suicídio não é causado por um único fator, geralmente é produto de uma combinação de vários fatores que levam ao suicídio. Mas há muitas oportunidades de prevenção", acrescentou.

Obrigado por ler a EXAME! Que tal se tornar assinante?


Tenha acesso ilimitado ao melhor conteúdo de seu dia. Em poucos minutos, você cria sua conta e continua lendo esta matéria. Vamos lá?


Falta pouco para você liberar seu acesso.

exame digital

R$ 12,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser.

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.
Assine

exame digital + impressa

R$ 29,90/mês
  • Acesse onde e quando quiser

  • Acesso ilimitado a conteúdos exclusivos sobre macroeconomia, mercados, carreira, empreendedorismo, tecnologia e finanças.

  • Edição impressa mensal.

  • Frete grátis
Assine

Já é assinante? Entre aqui.