Mundo
Acompanhe:

Sob pressão, ministra da Defesa da Alemanha renuncia

Lambrecht, uma social-democrata de 57 anos, foi ministra da Justiça no governo de coalizão anterior de Angela Merkel

Christine Lambrecht: O nome de seu sucessor, ou sucessora, ainda não foi divulgado (AFP/AFP Photo)

Christine Lambrecht: O nome de seu sucessor, ou sucessora, ainda não foi divulgado (AFP/AFP Photo)

A
AFP

16 de janeiro de 2023, 08h21

A ministra alemã da Defesa, Christine Lambrecht, apresentou sua renúncia ao chefe de Governo, Olaf Scholz, nesta segunda-feira (16), enfraquecida por uma série de erros e controvérsias.

"O foco da mídia em mim por meses não permite relacionamentos e discussões objetivas sobre os soldados, o Bundeswehr (o Exército alemão) e as orientações da política de segurança no interesse dos cidadãos alemães", lamentou Lambrecht em um comunicado transmitido à imprensa.

Nesse contexto, "pedi ao chanceler (Scholz) hoje (segunda-feira) para me dispensar das minhas funções como ministra da Defesa", acrescentou.

O nome de seu sucessor, ou sucessora, ainda não foi divulgado.

Lambrecht, uma social-democrata de 57 anos, foi ministra da Justiça no governo de coalizão anterior de Angela Merkel.

Desde o início da guerra na Ucrânia, no final de fevereiro, a ministra se envolveu em uma série de controvérsias. Em uma delas, foi criticada por Kiev ao anunciar o envio de 5.000 capacetes, depois de o governo do presidente ucraniano, Volodimir Zelensky, ter pedido armas pesadas.

No início de janeiro, um vídeo, no qual celebrava o novo ano, também foi alvo de críticas. Nele, a ministra apareceu no centro de Berlim, falando sobre a guerra na Ucrânia, em meio a explosões de bombinhas e fogos de artifício comemorativos.

Quer receber os fatos mais relevantes do Brasil e do mundo direto no seu e-mail toda manhã? Clique aqui e cadastre-se na newsletter gratuita EXAME Desperta.

LEIA TAMBÉM: